Biden celebra "independência" em relação à covid, mas ressalta que pandemia não acabou

·2 minuto de leitura
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, recebe sorvete no Moomers Homemade Ice em Traverse City, Michigan, antes das comemorações do Dia da Independência dos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, está dando uma grande festa neste domingo pelo Dia da Independência, na qual celebrará a vitória contra a covid-19, apesar de persistirem áreas do país com baixas taxas de vacinação.

Para este evento, o presidente e sua esposa, Jill Biden, receberão 1.000 pessoas, entre militares e trabalhadores essenciais com suas famílias.

A tradicional queima de fogos de artifício, que atrai milhares de pessoas ao National Mall, na capital Washington, e é replicada em todo o país, permitirá que Biden marque o que chama de "independência desse vírus".

Um funcionário da Casa Branca declarou em comunicado que o presidente celebrará o progresso contra o vírus, mas que enfatizará que o trabalho "está longe de ter acabado".

Depois de se firmar como o país com maior número de mortes em termos absolutos, com mais de 600 mil, os Estados Unidos se tornaram um modelo no controle da pandemia.

De fato, as hospitalizações e mortes por covid-19 caíram 90% desde janeiro e o país conseguiu reabrir sua atividade econômica em grande medida.

Assim, a mensagem de Biden nesta comemoração realizada no jardim sul da Casa Branca destacará a melhora da situação alcançada no período de um ano.

"Temos muito o que comemorar. Estamos muito mais avançados do que acho que alguém poderia prever nesta luta contra a pandemia", declarou Jeff Zients, coordenador de resposta ao coronavírus da Casa Branca, à ABC.

No entanto, a Casa Branca não alcançou a meta de ter sete em cada 10 adultos vacinados com pelo menos uma dose antes do Dia da Independência.

Os opositores do evento na Casa Branca expressaram preocupação de que as imagens da festa enviem a mensagem errada ao país, quando apenas 46% dos americanos estão totalmente vacinados e em um momento em que a variante Delta do vírus, altamente contagiosa, está circulando.

Autoridades de saúde pública observaram que os hospitais nas áreas rurais do país estão começando a se encher novamente, especialmente em Utah, Missouri, Arkansas e Wyoming.

Anthony Fauci, o maior especialista em doenças infecciosas dos Estados Unidos, declarou à NBC que as pessoas não vacinadas agora respondem por 99,2% das mortes por covid-19.

A celebração será mais uma oportunidade para Biden falar sobre as perspectivas econômicas do país à medida que continuam as negociações entre os partidos Democrata e Republicano para um projeto de infraestrutura.

Dentro do partido no poder há um debate tenso sobre um pacote de gastos muito mais amplo, que não tem o apoio dos legisladores da outra força.

bur-ft/jm/yow/llu/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos