Biden, "decepcionado" com a saída da Turquia de um tratado contra a violência sexista

·1 minuto de leitura
Biden, "decepcionado" com a saída da Turquia de um tratado contra a violência sexista

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ficou "profundamente decepcionado" neste domingo(21) com o anúncio de que a Turquia abandonaria um acordo do Conselho da Europa contra a violência sexista.

“É um retrocesso desanimador para o movimento internacional que busca acabar com a violência contra as mulheres”, disse Biden em um comunicado.

A Convenção de Istambul, assinada em 2011, obriga os governos a adotar uma legislação que pune a violência doméstica e abusos semelhantes, incluindo estupro conjugal e mutilação genital feminina.

A Turquia retirou-se do tratado na sexta-feira, provocando manifestações de milhares de pessoas no país no sábado para exigir que o presidente, Recep Tayyip Erdogan, reverta a decisão. Essa retirada "repentina" e "injustificada" é "profundamente decepcionante", disse Biden."

A violência de gênero é um flagelo que afeta todas as nações em todos os cantos do mundo. Nas últimas semanas, vimos muitos exemplos de ataques horríveis e brutais contra mulheres, incluindo os trágicos assassinatos na Geórgia ", continuou o presidente dos Estados Unidos.

"E vimos os danos mais amplos para as mulheres em todo o mundo que vivem sob o espectro diário da violência de gênero. Isso prejudica a todos nós, e todos devemos fazer mais para criar sociedades nas quais as mulheres possam desenvolver suas vidas. Sem violência", afirmou. ele declarou.

Os Estados Unidos e a Turquia, ambos membros da OTAN, têm relações extremamente tensas desde 2016, e o presidente Erdogan ainda não se reuniu com Biden desde que este assumiu o cargo em janeiro.

Na semana passada, Washington denunciou as tentativas das autoridades turcas de proibir o principal partido pró-curdo.

cjc/fff/gma/rs/jc