Biden desiste de atos públicos em campanha presidencial nos EUA por pandemia

Um membro da equipe higieniza o púlpito antes que o candidato presidencial democrata dos EUA Joe Biden fale à imprensa na Alexis I Dupont High School em 30 de junho de 2020, em Wilmington, Delaware.

O candidato do Partido Democrata à eleição presidencial de novembro nos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta terça-feira (30) que não realizará atos públicos de campanha devido à atual pandemia de coronavírus, em contraste com a estratégia de seu rival republicano, o presidente Donald Trump.

"Vou seguir as ordens dos médicos - não apenas por mim, mas também pelo país - e isso implica que não realizarei nenhum comício", disse o ex-vice-presidente em coletiva de imprensa no estado de Delaware (costa leste dos EUA).

Biden, de 77 anos , que foi vice-presidente de Barack Obama (2009-2017), anunciou sua opção em um momento em que os Estados Unidos - o país com mais mortes por COVID-19 com 126.000 óbitos - registraram um aumento acentuado de infecções no oeste e no sul, incluindo estados altamente populosos, como Califórnia, Arizona, Texas e Flórida.

"Esta é a campanha mais incomum da história moderna", disse Biden, que criticou veementemente a gestão da crise pelo presidente. "Donald Trump falhou", disse o candidato democrata.

Há dez dias, Trump realizou um comício em Tulsa, Oklahoma, e foi duramente criticado após um aumento de infecções no estado.

"Quando viajo, apresento minhas propostas e saio. Respondo às perguntas e saio. Você me conhece, gostaria muito de ficar mais e estar com o povo", disse Biden em uma entrevista coletiva realizada em uma escola próxima a sua casa.

Ele afirmou que não realizou o teste para o coronavírus, pois não apresentava sintomas e não queria tomar o "lugar de outra pessoa", mas prometeu que o faria "em breve", porque passará a ter mais reuniões.

Trump costuma debochar de Biden por ficar confinado em sua casa em Wilmington, Delaware, sem realizar comícios de campanha depois da suspensão das atividades em meados de março devido à pandemia.

O líder republicano aproveitou essa decisão para questionar sua capacidade mental, afirmando que Biden - conhecido por seus lapsos e erros - está "escondido" no porão de sua casa, onde instalou um estúdio de televisão.