Biden diz a Macron que quer 'revitalizar' vínculo com Otan e UE

·2 minuto de leitura
O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, discursa em Wilmington, Delaware, em 10 de novembro de 2020
O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, discursa em Wilmington, Delaware, em 10 de novembro de 2020

O presidente eleito dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden, conversou nesta terça-feira (10) com o presidente francês, Emmanuel Macron, e expressou o desejo de "revitalizar os laços bilaterais e transatlânticos", apontando para a Otan e a União Europeia, que muitas vezes foram prejudicados durante o governo de Donald Trump.

Em sua primeira conversa telefônica, os dois políticos também evocaram o futuro da cooperação na luta contra a pandemia e a "ameaça das mudanças climáticas", segundo um comunicado emitido pela equipe de transição democrata.

Joe Biden "agradeceu ao presidente Macron pelos cumprimentos e expressou seu desejo de fortalecer as relações entre os Estados Unidos e a França, seu aliado mais antigo", acrescentou a equipe do futuro presidente americano.

Anteriormente, o Palácio do Eliseu havia informado sobre o telefonema entre os dois líderes, que se seguiu aos cumprimentos de Macron no sábado, após o anúncio da vitória de Biden, e sem esperar que Trump esperasse admitir a derrota.

"O chefe de Estado cumprimentou Joe Biden e sua vice-presidente, Kamala Harris, e assegurou-lhes sua vontade de trabalhar juntos em temas contemporâneos: clima, saúde, luta contra o terrorismo e defesa dos direitos fundamentais", informou a Presidência francesa.

Macron, que chegou ao poder em 2017, nunca se reuniu com Biden, que foi vice-presidente de Barack Obama entre 2009 e 2017.

Assim como a maioria dos outros líderes europeus, Macron o cumprimentou no sábado, pedindo-lhe que agissem "juntos" para "enfrentar os desafios de hoje".

Biden iniciou as conversas com líderes estrangeiros na segunda-feira, com um telefonema do primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau.

Também falou nesta terça com o premier britânico, Boris Johnson, que disse estar ansioso por "fortalecer a relação" entre Reino Unido e Estados Unidos, com a chanceler alemã, Angela Merkel, e com o chefe de governo irlandês, Micheal Martin.

Merkel, que manteve relações tensas com Trump, telefonou para Biden para cumprimentá-lo pela vitória e assegurar "uma colaboração estreita, baseada na confiança".

O primeiro-ministro irlandês, Micheal Martin, qualificou a conversa com Biden como "calorosa e interessante".

"Acabo de ter uma conversa calorosa com o presidente eleito, @JoeBiden", que ressaltou seu apego às suas raízes irlandesas, informou Martin em um tuíte.

Segundo o governo irlandês, Biden "reiterou seu total apoio" ao acordo de paz de 1998, que pôs fim aos "conflitos" na Irlanda do Norte e acrescentou que Biden ressaltou a importância de respeitá-lo no âmbito do Brexit.

fff-an/rsr/cc/mvv