Biden diz a primeiro-ministro de Israel que EUA têm opções se diplomacia com Irã falhar

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Trevor Hunnicutt e Matt Spetalnick

WASHINGTON (Reuters) - O presidente Joe Biden afirmou ao primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, em uma reunião na Casa Branca na sexta-feira que estava colocando “a diplomacia na frente” em sua tentativa de conter o programa nuclear do Irã, mas que estaria preparado para tentar outras opções não especificadas se as negociações falhassem.

Após um atraso de um dia devido ao bombardeio suicida com vítimas em Cabul durante a caótica evacuação dos EUA do Afeganistão, Biden e Bennett realizaram a primeira reunião para reiniciar as relações EUA-Israel e reduzir as divergências sobre como lidar com os avanços nucleares do Irã.

As tensões complicaram as relações entre o predecessor de Bennett, Benjamin Netanyahu, que era próximo ao ex-presidente norte-americano Donald Trump, e o último governo democrata liderado por Barack Obama, do qual Biden era vice-presidente.

Mas a reunião foi eclipsada pelo ataque de quinta-feira no lado de fora do aeroporto que matou pelo menos 92 pessoas, incluindo 13 soldados norte-americanos, a pior crise de Biden em sua presidência.

“A missão lá … é perigosa e agora vem com uma perda significativa de vidas norte-americanas, mas é uma missão que vale a pena”, disse Biden a repórteres, após conversar com Bennett.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos