Biden diz que economia "ainda está em apuros" e pressiona por estímulos

Trevor Hunnicutt
·2 minuto de leitura
Biden diz que Congresso pode fazer mais para ajudar economia em crise

Por Trevor Hunnicutt

WASHINGTON (Reuters) - Depois que dados fracos de geração de empregos mostraram que a recuperação do mercado de trabalho dos Estados Unidos está perdendo força, o presidente Joe Biden e sua equipe econômica reiteraram nesta sexta-feira a mesma mensagem em reuniões, entrevistas e aparições na televisão: é hora de liberar mais dinheiro para a economia.

Em reunião na Casa Branca com os principais democratas da Câmara dos Deputados, Biden disse que os EUA não retornariam ao pleno emprego nos próximos dez anos no ritmo atual de criação de empregos, ressaltando a necessidade de parlamentares agirem em torno do seu pacote de alívio no valor de 1,9 trilhão de dólares.

"Nossa economia ainda enfrenta problemas", disse Biden a repórteres após a reunião. "Alguns no Congresso acham que fizemos o suficiente -outros acham que podemos fazer pouco ou nada- isso não é o que vejo", disse ele.

A proposta de estímulo de Biden, que se somaria ao valor próximo de 4 trilhões dólares em ajuda aprovada pelo Congresso no ano passado, tem encontrado resistência principalmente de parlamentares republicanos, que expressaram preocupação com o aumento da dívida pública.

Mas o presidente democrata reagiu contra os republicanos nesta sexta-feira, afirmando que o que eles propuseram não traria ajuda suficiente para a economia.

"É a vida das pessoas. Pessoas na vida real estão sofrendo e podemos consertar isso", disse Biden mais cedo. "Quando os ajudamos, também ajudamos a nossa capacidade competitiva", afirmou ele.

Biden também pediu aos parlamentares que evitem o risco de aprovar um pacote de estímulo que seja pequeno demais para atender às necessidades urgentes da população norte-americana, com milhões ainda sem emprego quase um ano após o início da pandemia da Covid-19.

O Senado trabalhou até tarde da noite de quinta-feira, com os partidários democratas de Biden tentando superar a oposição republicana ao plano de alívio. A expectativa é que a Câmara dos Deputados aprove uma medida orçamentária nesta sexta-feira que permita aos democratas aprovarem o pacote de alívio de Biden no Congresso sem o apoio republicano.

Os democratas têm estreita maioria na Câmara e controle efetivo no Senado.

Os assessores de Biden devem continuar a promover o pacote nesta sexta-feira. A secretária do Tesouro, Janet Yellen, e a vice-presidente, Kamala Harris, também participarão de uma discussão virtual com membros das "Black Chambers of Commerce" para discutir o plano de alívio do presidente às 17h (pelo horário de Brasília).

O crescimento do emprego nos EUA recuperou-se menos do que o projetado para o mês de janeiro, com geração de apenas 49 mil postos de trabalho, e as perdas de empregos em dezembro foram piores do que estimava-se inicialmente, fortalecendo o argumento de financiamento adicional do governo para auxiliar na recuperação da pandemia da Covid-19.

(Por Trevor Hunnicutt e Jonnelle Marte)