Biden diz que a luta entre democracia e autocracia está em um 'ponto de inflexão'

·1 minuto de leitura
Presidente Joe Biden fala sobre política externa na sede do Departamento de Estado dos EUA, em 4 de fevereiro de 2021, em Washington

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta sexta-feira (19) em um discurso sobre política externa que a luta entre a democracia e a autocracia está em um "ponto de inflexão".

"Em muitos lugares, incluindo a Europa e Estados Unidos, o progresso democrático está em perigo", afirmou Biden, segundo trechos do discurso que pronunciará virtualmente na Conferênia sobre Segurança de Munique, divulgados pela Casa Branca.

O discurso de Biden na conferência anual - realizada virtualmente devido à pandemia - expõe sua visão sobre o retorno dos Estados Unidos ao seu papel preponderante no panorama internacional.

Biden destaca o renovado compromisso dos Estados Unidos com suas alianças históricas, em contraste com a postura competitiva e de confronto mantida por Trump.

"Nossas alianças perduraram e cresceram ao longo dos anos porque estão ancoradas na riqueza dos valores democráticos que compartilhamos. Não são transacionais", defendeu o presidente americano.

Esses trechos divulgados não fazem nenhuma menção à China ou Rússia, mas suas referências deixam pouco lugar para dúvidas.

Para Biden, há "um debate fundamental sobre a futura direção do nosso mundo", entre aqueles que defendem a autocracia e aqueles que acreditam que a democracia é fundamental para enfrentar os desafios.

"Os historiadores vão analisar e escrever sobre este momento", estima. "E eu acredito com todo o meu ser que a democracia vai prevalecer", disse o presidente americano.

Para Biden, "a democracia não se produz por acidente".

"Temos que defendê-la. Fortalecê-la. Renová-la e temos que provar que nosso modelo não é uma relíquia de nossa história", afirma.

sms-an/ll/aa