Biden e Macron botam panos quentes em relação diplomática após crise dos submarinos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  17-06-2014, 10h00: O vice presidente americano Joe Biden durante declaração à imprensa na Embaixada Americana em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 17-06-2014, 10h00: O vice presidente americano Joe Biden durante declaração à imprensa na Embaixada Americana em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BAURU, SP (FOLHAPRESS) - A Casa Branca divulgou nesta quarta-feira (22) um comunicado em que afirma que os presidentes dos EUA, Joe Biden, e da França, Emmanuel Macron, concordaram em abrir um processo de consultas aprofundadas "para garantir a confiança e propor medidas concretas em direção a objetivos comuns".

O anúncio ocorre quase uma semana depois de a diplomacia francesa acusar o governo Biden de "agir como Trump" e apunhalar Paris pelas costas ao firmar um contrato de construção de submarinos nucleares com a Austrália --na prática, tomando o lugar dos franceses.

Os dois líderes concordaram em se encontrar na Europa no final de outubro, e Macron decidiu que o embaixador francês retornará a Washington já na próxima semana, um gesto diplomático que bota panos quentes na relação entre os dois países.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos