Biden e primeira-dama dos EUA vão a missa em Roma após encontro com papa

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Jeff Mason

ROMA (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e sua esposa, Jill, foram à missa na noite deste sábado em uma igreja norte-americana em Roma, um dia depois de o presidente dos EUA se reunir com o papa Francisco de ter dito que o pontífice afirmou que ele era um "bom católico" que poderia receber a comunhão.

A declaração ampliou o abismo entre Francisco e bispos conservadores dos EUA que querem negar a Biden o direito de receber comunhão devido ao apoio dado pelo presidente ao direito ao aborto.

Uma pessoa de dentro da igreja disse neste sábado à Reuters que o presidente recebeu a comunhão.

Biden vai à missa com frequência em Washington, na noite de sábado ou no domingo. Em Roma, onde estava participando da cúpula do G20, ele compareceu à Igreja St. Patrick’s, perto da embaixada dos EUA.

Os católicos podem ir à missa na noite de sábado para cumprirem suas obrigações de domingo.

A presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, também católica, foi à missa na mesma igreja no começo deste mês, mas teve que sair mais cedo por causa de uma ameaça de segurança relacionada a pessoas protestando em uma praça próxima contra a vacinação para combater o coronavírus.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos