Biden elogia reformas de defesa do Japão e diz que aliança com Kishida é forte

Presidente dos EUA, Joe Biden, recebe premiê japonês, Fumio Kishida, na Casa Branca

Por Andrea Shalal e David Brunnstrom

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, recebeu o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, na Casa Branca, nesta sexta-feira, e disse que os EUA continuam fortemente comprometidos com sua aliança com o Japão, elogiando um "aumento histórico" nos investimentos japoneses em defesa.

Kishida está em Washington na última parada de uma turnê pelas potências industriais do G7, e tem buscado fortalecer alianças de longa data em meio à crescente preocupação no Japão sobre as crescentes ameaças à segurança regional da China, Coreia do Norte e Rússia.

Em uma reunião no Salão Oval, Biden classificou o momento como "marcante" na aliança EUA-Japão e disse que as duas nações nunca estiveram tão próximas.

"Deixe-me ser claro: os Estados Unidos estão totalmente comprometidos com a aliança", disse ele, ao mesmo tempo em que agradeceu a Kishida pela forte liderança em trabalhar de perto em tecnologia e questões econômicas.

Kishida agradeceu a Biden pelo trabalho dos EUA na segurança regional e disse: "O Japão e os Estados Unidos estão enfrentando atualmente o ambiente de segurança mais desafiador e complexo da história recente". Ele disse que Tóquio formulou sua nova estratégia de defesa lançada no mês passado "para garantir a paz e a prosperidade na região".

Harris disse que a relação EUA-Japão é "firme" e que os dois lados assinariam um acordo de cooperação espacial no final do dia.

No mês passado, o Japão anunciou seu maior fortalecimento militar desde a Segunda Guerra Mundial -- um afastamento dramático de sete décadas de pacifismo, amplamente alimentado por preocupações com as ações chinesas na região.

(Reportagem de Jeff Mason, Andrea Shalal, David Brunnstrom, Michael Martina e Tim Ahmann)