Biden exige respostas a ataques cibernéticos do governo dos EUA

·3 minuto de leitura
O presidente eleito dos EUA, Joe Biden, acusou o presidente Donald Trump de negligenciar suas funções após a revelação de um ataque cibernético massivo contra o governo dos EUA

O presidente eleito americano, Joe Biden, disse nesta terça-feira (22) que os autores de um ataque cibernético maciço contra o governo dos Estados Unidos, atribuído não oficialmente à Rússia, devem enfrentar as consequências e criticou o presidente Donald Trump por sua resposta branda à ameaça.

"Não podemos deixar isso ficar sem resposta", disse Biden em comentários antes das festas de fim de ano.

"Isso significa deixar claro e público quem são os responsáveis pelo ataque e tomar medidas significativas para responsabilizá-los", acrescentou.

Biden, que, como presidente eleito recebeu relatórios de Inteligência sobre questões-chave de segurança nacional, disse que ainda há muito desconhecimento sobre a extensão dos danos do ataque.

Na semana passada, a agência de segurança cibernética dos EUA disse que uma operação altamente técnica e bem coordenada invadiu os sistemas corporativos e governamentais dos EUA meses atrás, infiltrando-se em um software de segurança amplamente utilizado.

"Não vejo evidências de que esteja sob controle", disse Biden, contradizendo Trump.

"Este presidente ainda não identificou quem é o responsável", disse ele. E avisou que tomará providências assim que assumir a presidência, em 20 de janeiro.

“Quando conhecermos a extensão do dano e, de fato, quem é o responsável formalmente, pode ter certeza de que responderemos”, disse ele.

"Há muitas opções que não vou discutir agora."

- Ataque devastador -

De acordo com autoridades dos EUA, a violação mais devastadora da segurança de computadores dos EUA em anos afetou pelo menos os departamentos de Estado, Comércio, Tesouro, Energia e Segurança Interna, além dos Institutos Nacionais de Saúde.

Os analistas esperam que outros departamentos, e possivelmente, agências importantes de Inteligência, também tenham sido vítimas do ataque e que possa levar meses ou mais para avaliar os danos.

Biden chamou o ataque de "sério risco" para a segurança nacional e criticou Trump por minimizar a segurança cibernética durante seus quase quatro anos no cargo.

O ataque, disse ele, foi "cuidadosamente planejado e orquestrado com cuidado. Foi realizado usando ferramentas cibernéticas sofisticadas".

"Os agressores conseguiram pegar o governo federal de surpresa e desprevenido".

Ele acusou Trump de falhar em seu trabalho de proteger o país e "minimizar irracionalmente a seriedade deste ataque".

"Continua sendo sua responsabilidade como presidente defender os interesses americanos nas próximas quatro semanas", disse ele.

"Este ataque aconteceu sob a vigilância de Donald Trump, quando ele não estava olhando", disse Biden.

O governo ainda não atribuiu oficialmente os ataques a qualquer país ou pessoa, embora altos funcionários, incluindo o secretário de Estado Mike Pompeo e o procurador-geral Bill Barr, e altos membros do Congresso informados sobre o assunto, tenham apontado para Rússia.

Trump, no entanto, acusou a mídia na semana passada de sempre reviver a ameaça da Rússia.

“O ataque cibernético é muito maior na mídia falsa do que na realidade”, tuitou Trump.

“Fui totalmente informado e tudo está bem sob controle”, escreveu ele.

"Rússia, Rússia, Rússia é a música preferida quando algo acontece", disse ele, sugerindo que a China poderia ser o autor do crime.

sms-ec-pmh/acb/mps/lda/jc/mvv