Biden fala em direitos humanos e Xi alerta para "linha vermelha" sobre Taiwan em conversa de 3 horas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Tela em restaurante de Pequim mostra reunião virtual entre presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da China, Xi Jinping
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Andrea Shalal e Michael Martina e David Brunnstrom e Yew Lun Tian

WASHINGTON/PEQUIM (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pressionou seu equivalente chinês a respeito das práticas de direitos humanos na China durante uma teleconferência de mais de três horas na segunda-feira, enquanto Xi Jinping alertou que seu país reagiria a provocações a respeito de Taiwan, disseram autoridades.

Acompanhada atentamente, a conversa entre os líderes das duas maiores economias do mundo foi descrita pelos dois lados como sincera e direta, e ambos tentaram abaixar a temperatura e evitar um conflito.

A conversa não pareceu render resultados imediatos, mas deu aos dois líderes uma oportunidade de afastar as relações de um confronto glacial.

Eles debateram a Coreia do Norte, o Afeganistão, o Irã, mercados globais de energia, comércio e concorrência, clima, questões militares, a pandemia e outras áreas nas quais discordam com frequência.

Xi, que não sai da China desde que a Covid-19 se disseminou em todo o mundo quase dois anos atrás, comparou os dois países a "dois navios gigantescos navegando no mar" que precisam ser estabilizados para não colidirem, noticiou a mídia estatal chinesa.

"Espero, senhor presidente, que o senhor consiga exercer uma liderança política para recolocar a diretriz dos Estados Unidos para a China em uma rota racional e pragmática", disse Xi a Biden, de acordo com a agência de notícias Xinhua.

Biden também falou em evitar um conflito.

"A mim parece que nossa responsabilidade, como líderes da China e dos Estados Unidos, é fazer com que a concorrência entre nossos países não enverede para um conflito, seja intencional ou não-intencional", disse Biden durante um intercâmbio curto observado por repórteres norte-americanos. "Só a concorrência simples e direta."

Os dois líderes tiveram um "debate saudável", disse uma autoridade dos EUA mais tarde. Biden enfatizou a importância de a China cumprir os compromissos que assumiu em um acordo negociado por seu antecessor, Donald Trump, disse o funcionário norte-americano.

A China está atrasada no compromisso de comprar 200 bilhões de dólares adicionais de produtos e serviços dos EUA, mas, segundo autoridades chinesas, Xi disse a Biden que é importante evitar politizar o tema.

Os dois presidentes também debateram a adoção de medidas para tratar dos suprimentos mundiais de energia, disseram autoridades dos EUA. Já as autoridades chinesas disseram que Xi concordou em modernizar uma "pista de alta velocidade" para representantes comerciais dos EUA irem à China.

A questão polêmica da presença de enviados da Casa Branca na Olimpíada de Inverno de Pequim de fevereiro não foi abordada, disse o funcionário norte-americano.

(Por Andrea Shalal, David Brunnstrom e Michael Martina em Washington, e Yew Lun Tian em Pequim; reportagem adicional de Gabriel Crossley, Ryan Woo, Tony Munroe e Trevor Hunnicutt)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS ES

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos