Biden fala sobre pandemia de covid na ONU: 'Preocupações não podem ser resolvidas com armas'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
President Joe Biden delivers remarks to the 76th Session of the United Nations General Assembly, Tuesday, Sept. 21, 2021, in New York. (AP Photo/Evan Vucci)
Foto: AP Photo/Evan Vucci.
  • Norte-americano fez menções à China

  • Ele defendeu a união dos países

  • Biden faz esforço para retomar diálogo dos EUA com mundo após governo Trump

Em seu discurso durante a 76ª Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas), o presidente norte-americano Joe Biden disse que "hoje, muitas das nossas preocupações não podem ser resolvidas com a força das armas", citando a pandemia de covid-19.

A crise sanitária do coronavírus foi o foco do discurso do norte-americano. Biden usou seu primeiro discurso na ONU como presidente para tentar desmanchar os feitos prejudiciais feitos pelo presidente anterior, Donald Trump, e garantir que os EUA voltam para as discussões mundiais e aos fóruns multilaterais.

"Estamos de volta à mesa nos fóruns internacionais, especialmente nas Nações Unidas, para focar em ações globais e desafios comuns", disse.

Ele também declarou que seu país não procura uma nova Guerra Fria com a China, mas deixou diversos comentários à China, mesmo sem citar diretamente o rival.

Leia também:

"Não estamos procurando, vou repetir, não estamos procurando uma nova Guerra Fria, ou um mundo dividido em blocos rígidos", afirmou Biden.

Ainda assim, ele garantiu que os EUA defendem a liberdade de expressão, em referência às reivindicações chinesas pelo Mar do Sul da China. O presidente ainda se colocou contra ataques cibernéticos, que o país também acusa a China de coordenar. Por fim, citou Xinjiang, região de minoria muçulmana, onde os EUA acusam o país asiático de genocídio, como um dos pontos de preocupação de violações de direitos humanos.

A fala do presidente do país anfitrião durou mais de 30 minutos, o dobro dos 15 minutos estipulados pelo presidente da sessão, o chanceler das Maldivas, Abdulla Shahid. Biden foi aplaudido ao final, quando encerrou com um apelo por uma ação conjunta. "Nós vamos escolher construir um futuro melhor. Nós, vocês e eu".

Discurso de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) abriu a Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta terça-feira (21). O presidente começou afirmando que o Brasil não tem casos de corrupção desde que Bolsonaro assumiu o poder e atacou a imprensa. Além disso, também falou em respeito à democracia.

Seu discurso foi descolado da realidade, pois o presidente retratou um Brasil que não tem sido visto por seus habitantes, com crescimento econômico e credibilidade recuperada.

Além disso, exaltou as manifestações a favor do governo no 7 de setembro, afirmando, erroneamente, que foram as maiores já vistas no país.

Sobre o tema ambientes, Bolsonaro afirmou que "nenhum país do mundo possui uma legislação tão completa" quanto a do Brasil. "Nosso código florestal deve servir de exemplo para outros países. O Brasil é um país com dimensões continentais, com grandes desafios ambientais. São 8,5 milhões de quilômetros quadrados, dos quais 66%, dois terços, são vegetação nativa, a mesma desde o seu descobrimento em 1500", afirmou.

Assista ao discurso completo:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos