Biden limitará presença em jantar de correspondentes para evitar exposição à Covid-19

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

WASHINGTON (Reuters) - O presidente norte-americano, Joe Biden, limitará o tempo que ficará no jantar anual da Associação dos Correspondentes da Casa Branca no próximo sábado para restringir sua potencial exposição ao coronavírus, disse a secretária de imprensa, Jen Psaki, nesta quarta-feira.

Um dia depois de a vice-presidente, Kamala Harris, testar positivo para o vírus, Psaki disse que Biden não participará da primeira parte do evento, quando há o jantar em si, mas estará presente durante os discursos mais tarde, em uma tentativa de limitar as chances de contrair Covid-19.

O evento no sábado será realizado pela primeira vez desde 2019 por causa da pandemia.

Barack Obama foi o último presidente a comparecer ao jantar, em 2016, porque Donald Trump recusou os convites durante seu mandato.

Psaki mencionou que Trump "questionava a legitimidade da imprensa" diariamente e não compareceu ao jantar. Ela disse que Biden usará máscara enquanto estiver lá.

Biden quer comparecer para demonstrar seu apoio à Primeira Emenda da Constituição dos EUA, que trata da liberdade de expressão, disse.

A Associação dos Correspondentes da Casa Branca foi fundada em 1914 e realiza um jantar quase todos os anos para celebrar os repórteres que cobrem a Presidência e arrecadar fundos para bolsas de estudo.

(Reportagem de Trevor Hunnicutt e Steve Holland)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos