Biden manda enviado ao México e Guatemala para pedir ajuda com imigração

·1 minuto de leitura
Fronteira EUA-México

WASHINGTON/CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Representantes do governo dos Estados Unidos pedirão a autoridades do México e da Guatemala que ajudem a conter o tráfego imigratório, disse a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, nesta segunda-feira, enquanto o governo Biden mostra dificuldade em conter um desafio humanitário crescente ao longo da fronteira com o México.

O presidente Joe Biden despachou enviados, entre eles Roberta Jacobson, coordenadora de fronteiras da Casa Branca, aos dois países nesta segunda-feira para que debatam como administrar o aumento do número de imigrantes a caminho da divisa EUA-México.

Quando indagada se a delegação dos EUA buscará apoio das autoridades locais, Psaki disse em uma entrevista coletiva:

"Certamente, parte do nosso objetivo, como Roberta Jacobson... transmitiu quando esteve lá poucas semanas atrás, era que precisamos trabalhar em parceria com estes países para tratar das causas centrais em seus países para comunicar clara e sistematicamente que este não é o momento de viajar".

Jacobson foi acompanhada de Juan González, diretor sênior do Conselho de Segurança Nacional para o Hemisfério Norte, e o diplomata de origem hondurenha Ricardo Zúñiga, recém-indicado pelo Departamento de Estado como enviado especial do Triângulo Norte.

González seguirá à Guatemala para se reunir com as autoridades locais, representantes da sociedade civil e organizações não-governamentais.

A promessa de Biden de acabar com as políticas imigratórias rígidas do ex-presidente Donald Trump foi dificultada por uma disparada recente do número de imigrantes que cruzam a fronteira ilegalmente.

(Por Daina Beth Solomon e Steve Holland; reportagem adicional de Matt Spetalnick)