Biden nomeia autoridade em pandemia para nova equipe de segurança nacional

Trevor Hunnicutt
·1 minuto de leitura
Presidente eleito dos EUA, Joe Biden

Por Trevor Hunnicutt

WILMINGTON, Delaware (Reuters) - O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, planeja adicionar uma autoridade sênior para supervisionar a segurança de saúde global ao reformular o Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, restaurando uma função cortada pelo governo Trump antes da pandemia de Covid-19, informou seu gabinete em um comunicado na sexta-feira.

Biden passou grande parte da campanha presidencial de 2020 argumentando que a decisão da equipe do presidente Donald Trump de dissolver um grupo voltado para a biodefesa deixou o país despreparado para o novo coronavírus.

Elizabeth Cameron, bióloga que liderou o grupo pandêmico antes de sua dissolução, retornará para atuar como diretora sênior da equipe enquanto Biden prepara uma estratégia com a qual espera reduzir a mortalidade e doenças causadas por uma pandemia que continua a assolar os Estados Unidos, afirma o comunicado.

As vacinas têm demorado a chegar ao público, fazendo pouco para impedir o aumento das infecções, com mais de 4.000 norte-americanos mortos pelo segundo dia consecutivo na quinta-feira.

Biden também fará mudanças mais amplas na segurança nacional, com uma autoridade com extensa responsabilidade sobre a política da Rússia, bem como um diretor sênior para clima e energia. O democrata prometeu adotar uma abordagem mais dura em relação à Rússia e às mudanças climáticas do que seu antecessor republicano.

(Reportagem adicional de Tim Ahmann)