Biden pede a eleitores para "salvar a democracia" ao criticar aliados de Trump

Biden discursa em Rockville, Maryland

Por Steve Holland

ROCKVILLE (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, usou palavras duras para descrever os republicanos aliados de Trump na quinta-feira, ao realizar seu primeiro comício político antes das eleições de novembro, acusando o grupo de adotar a violência e o ódio, e dizendo que eles se aproximam do "semifascismo".

Biden, ao iniciar uma turnê de costa a costa, busca dar seu apoio aos candidatos democratas e impedir que os republicanos assumam o controle do Congresso, destacando as diferenças acentuadas entre os dois principais partidos dos EUA e convocando eleitores independentes e republicanos a ajudar.

“Não é exagero agora que você precisa votar para literalmente salvar a democracia novamente”, disse Biden a uma multidão de vários milhares em um evento do Comitê Nacional Democrata na Richard Montgomery High School, em um subúrbio de Maryland, em Washington.

"A América precisa escolher. Você precisa escolher. Se nosso país vai avançar ou retroceder", declarou ele.

“Trump e os republicanos extremistas MAGA fizeram sua escolha – retroceder cheios de raiva, violência, ódio e divisão”, disse ele, em referência ao slogan de Trump sobre "tornar a América grande novamente", e alertando que “se recusam a aceitar a vontade do povo”.

Desde os ataques de 6 de janeiro de 2021 ao Capitólio dos EUA, alguns apoiadores de Donald Trump têm repetido sua mentira de que a eleição de 2020 foi roubada e ameaçado trabalhadores eleitorais.

No condado de Montgomery, em Maryland, onde mais de 78% dos eleitores escolheram Biden e a vice-presidente Kamala Harris em 2020, Biden subiu ao palco para pedir a "democratas, independentes e republicanos tradicionais" que se unam para se comprometer com o futuro.

Antes do comício, Biden se reuniu com doadores democratas para uma arrecadação de 1 milhão de dólares.

Caminhando com um microfone de mão, Biden detalhou a confusão que os Estados Unidos e o mundo enfrentam com as mudanças climáticas. Ele falou sobre a convulsão econômica e o futuro da China e criticou fortemente a direção do Partido Republicano.

"Estamos vendo agora o começo ou o fim de uma agenda extremista do MAGA", disse Biden. "Não é apenas Trump... É quase semifascismo."

Os republicanos esperam surfar no descontentamento dos eleitores com a inflação para chegar à vitória em novembro, e eles têm a história a seu lado. O partido que controla a Casa Branca geralmente perde assentos no Congresso nas primeiras eleições de meio de mandato de um novo presidente, e analistas políticos preveem que os republicanos têm uma boa chance de assumir o controle da Câmara dos Deputados e possivelmente do Senado.

Os democratas detêm apenas uma maioria apertada na Câmara, enquanto o Senado está dividido igualmente, com o poder de desempate da vice-presidente dando o controle aos democratas.