Biden pede renúncia de governador de NY após investigação de assédio sexual

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Presidente dos EUA, Joe Biden
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Trevor Hunnicutt

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta terça-feira que o governador de Nova York, Andrew Cuomo, deveria renunciar diante de um relatório da procuradora-geral estadual que concluiu que o político democrata assediou sexualmente 11 mulheres.

"Eu acho que ele deveria renunciar", disse Biden a jornalistas na Casa Branca.

A procuradora-geral de Nova York, Letitia James, revelou os resultados de uma investigação mais cedo na terça-feira, mostrando que Cuomo havia tocado, beijado e abraçado várias mulheres de maneira não consensual, além de ter feito comentários inapropriados.

Biden havia dito anteriormente que se a investigação determinasse que Cuomo agiu de maneira inapropriada, ele pediria sua renúncia. Nesta terça-feira, Biden disse que o governador democrata deveria deixar o cargo.

Segundo a investigação, Cuomo criou um espaço de trabalho "tóxico", violando a lei.

Em uma declaração gravada após a procuradora-geral revelar as descobertas do inquérito independente que durou 5 meses, Cuomo negou ter agido de maneira inapropriada e deixou claro que não tem planos de renunciar.

A investigação civil não irá levar diretamente a acusações criminais contra Cuomo.

(Reportagem de Jarrett Renshaw)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos