Biden presta homenagem à rainha Elizabeth antes de funeral

Por Michael Holden e Paul Sandle

LONDRES (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, prestou homenagem à rainha Elizabeth neste domingo, às vésperas do funeral de Estado, ao aparecer em uma varanda com vista para o caixão da falecida monarca britânica.

Biden está entre as dezenas de autoridades e membros de realeza de toda a Europa, Ásia, África e Américas que comparecerão ao funeral na próxima segunda-feira. Centenas de milhares de pessoas foram a Londres para prestar homenagem à monarca cujo reino foi o mais longevo do Reino Unido e que morreu em 8 de setembro aos 96 anos.

O corpo de Elizabeth está no histórico Westminster Hall desde quarta-feira, e pessoas de todos os cantos do país e do mundo fizeram fila por horas para passar por seu caixão em um fluxo constante e cheio de emoção.

Enquanto Biden tomava seu lugar na varanda ao lado de sua esposa Jill, ele fez o sinal da cruz antes de colocar brevemente a mão no coração.

Mais tarde, o presidente dos EUA se juntará ao rei Charles e a outros líderes de todo o mundo para uma recepção antes do grande funeral de estado.

Biden se juntará a presidentes, primeiros-ministros, reis, rainhas e sultões representando quase 200 países e territórios no funeral. O presidente francês Emmanuel Macron foi visto caminhando perto do rio Tâmisa no domingo, misturando-se com aqueles reunidos nas ruas ao redor do Parlamento.

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, no entanto, não deve mais comparecer, de acordo com uma fonte do governo britânico. Convidar o homem que os líderes ocidentais acreditam ter ordenado o assassinato em 2018 do jornalista saudita Jamal Khashoggi foi controverso. Ele negou qualquer participação no assassinato.

O Reino Unido convidou chefes de Estado ou embaixadores de todos os países com que tem relações diplomáticas plenas, mas cabe às nações decidir quem enviam. A mudança foi feita pela Arábia Saudita, acrescentou a fonte.