Biden promete defender os direitos humanos ante em reunião com Putin em junho

·1 minuto de leitura
O presidente americano Joe Biden discursa em Delaware

O presidente americano Joe Biden se comprometeu neste domingo a afirmar ao colega russo, Vladimir Putin, em seu primeiro encontro de cúpula em 16 de junho, que o governo dos Estados Unidos não permitirá que a Rússia "viole" os direitos humanos.

"Eu vou encontrar o presidente Putin em duas semanas em Genebra e deixarei claro que não vamos, não vamos ficar parados e deixar que abuse destes direitos", afirmou Biden em um discurso.

O presidente democrata também recordou que teve uma longa conversa telefônica em fevereiro com o colega chinês, Xi Jinping.

"Eu deixei claro que não podemos fazer outra coisa exceto defender os direitos humanos em todo o mundo, porque isto é o que somos", disse.

Biden se reunirá com Putin em 16 de junho em Genebra (Suíça), em um momento de grande tensão entre as duas potências.

O presidente americano quer demonstrar firmeza em relação à Rússia, para estabelecer uma ruptura com seu antecessor Donald Trump, acusado de complacência com o Kremlin.

Embora prometa voltar a adotar sanções contra a Rússia "caso continue interferindo" com a democracia americana - inclusive chamou Putin de "assassino" -, ele garante que não deseja "desencadear um ciclo de escalada e conflito" e insiste em seu desejo de diálogo.

fff/rle/gma/yo/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos