Biden publica declaração de impostos, retomando uma tradição não cumprida por Trump

·2 minuto de leitura
A vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, observa enquanto o presidente Joe Biden discursa no jardim da Casa Branca, 13 de maio de 2021

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e sua esposa Jill ganharam pouco mais de US$ 600.000 no ano passado, de acordo com sua declaração de imposto de renda, embora a verdadeira notícia seja a divulgação do documento.

Os líderes americanos sempre divulgaram suas declarações anuais de impostos, detalhando as fontes de renda e impostos pagos, em nome da transparência.

O ex-presidente Donald Trump rompeu com essa tradição, recusando-se durante sua gestão a divulgar informações sobre suas finanças ou o verdadeiro estado de seu império de imóveis e marcas.

Em sua declaração de imposto conjunta de 2020, Joe e Jill Biden, uma professora de ensino superior, relataram uma renda bruta ajustada pelo governo federal de US$ 607.336.

Eles pagaram US$ 157.414 em imposto de renda federal, uma alíquota efetiva de 25,9%, e US$ 28.794 do mesmo imposto para o estado onde residiam antes de chegar à Casa Branca, Delaware.

A vice-presidente de Biden, Kamala Harris, está vários degraus acima do chefe na hierarquia financeira.

A ex-senadora da Califórnia apresentou uma declaração de impostos conjunta com seu marido, o advogado Doug Emhoff, informando uma renda bruta ajustada pelo governo federal de US$ 1.695.225.

Ela e o marido pagaram US$ 621.893 em imposto de renda federal, uma alíquota de 36,7%.

Eles também pagaram US$ 125.004 em imposto de renda na Califórnia e Emhoff pagou US$ 56.997 na capital Washington.

Emhoff era um advogado de alto escalão na indústria do entretenimento e tirou uma licença de sua empresa quando Harris foi nomeada companheira de chapa de Biden.

As declarações de impostos confirmam uma coisa: tanto a primeira quanto a segunda família dos Estados Unidos poderiam pagar mais impostos se Biden conseguir que o Congresso aprove seu enorme pacote de gastos sociais e educacionais do Plano de Famílias Americanas.

De acordo com as propostas atuais, o plano seria financiado em parte pelo aumento da taxa de impostos mais alta para os americanos mais ricos. Aqueles que ganham menos de US$ 400.000 por ano, de acordo com Biden, não sofreriam nenhum aumento.

sms/ft/gma/dga/am