Biden recebe diagnóstico de Covid e apresenta sintomas 'muito leves', diz Casa Branca

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - O presidente dos EUA, Joe Biden, 79, está com Covid, informou a Casa Branca em um comunicado nesta quinta (21), e apresenta sintomas "muito leves" da doença. Ele manterá o trabalho de modo remoto.

No começo da tarde, o líder americano divulgou um vídeo, no qual disse estar bem e agradeceu as mensagens de preocupação.

O democrata começou a sentir sintomas na noite de quarta (20). Ele teve cansaço, coriza e tosse ocasional, de acordo com Kevin Connor, médico do presidente. O diagnóstico de Covid veio após um teste de antígeno e foi confirmado com um segundo exame, PCR, ambos feitos na manhã desta quinta.

Biden está sendo tratado com Paxlovid, antiviral usado para reduzir o risco de consequências graves da doença. O contágio traz preocupações extras devido à idade do presidente —a Covid costuma gerar mais complicações em pessoas mais velhas. O democrata está vacinado e tomou duas doses de reforço.

O governo americano prometeu divulgar atualizações frequentes sobre o estado de saúde de Biden, que ficará em isolamento, na Casa Branca, por ao menos cinco dias. Depois disso, fará novos testes e voltará ao convívio social só depois de um exame mostrar que ele não está mais infectado.

Enquanto isso, ele fará reuniões de modo virtual. Biden viajaria nesta quinta para a Pensilvânia para anunciar iniciativas para conter a criminalidade no país e participar de um encontro do Partido Democrata. Em seguida, partiria para Delaware, onde começaria sua folga de fim de semana. Os planos foram cancelados.

No começo da tarde, Ashish Jha, coordenador da Casa Branca de resposta à Covid, disse que os níveis de oxigênio e a respiração de Biden estavam normais, e que a expectativa é que o presidente se recupere bem, por estar vacinado e estar sendo tratado com Paxlovid. Jha disse que levará em torno de uma semana para que seja identificada qual variante infectou o presidente, prazo considerado padrão.

A Casa Branca está fazendo um mapeamento dos contatos recentes que Biden teve, para que essas pessoas sejam testadas. A porta-voz Karine Jean-Pierre, no entanto, não quis comentar sobre em que situação o presidente pode ter sido contaminado. "Não é fácil descobrir exatamente onde alguém pegou Covid. Eu tive Covid e não tenho ideia de quem eu peguei", disse Jean-Pierre.

A primeira-dama, Jill Biden, também fez um exame de detecção do vírus e obteve resultado negativo. Ela está em Detroit e manteve a agenda, mas deverá usar máscara e evitar proximidade com as pessoas. "Falei com ele [Biden] há alguns minutos, e ele está bem", disse ela.

O presidente havia viajado na quarta para Somerset, em Massachusetts, e fez um discurso, ao ar livre, sobre mudanças climáticas. Depois de falar, cumprimentou várias pessoas em meio a uma pequena aglomeração. Biden havia feito teste de Covid pela última vez na terça (19), com resultado negativo.

O democrata teve uma agenda cheia de viagens em julho. Na semana passada, esteve na Arábia Saudita e em Israel, onde se encontrou com autoridades dos dois países e de outros governos do Oriente Médio.

Em outubro de 2020, o então presidente Donald Trump também foi infectado pelo coronavírus. Naquele momento, no entanto, ainda não havia vacinas para a doença, e o republicano precisou ser levado a um hospital depois que os sintomas se agravaram. Ele se recuperou após três dias internado.

Os EUA, país mais atingido pela Covid no mundo, perderam mais de 1 milhão de pessoas devido à doença. Hoje, a média é de 127 mil novos casos e 414 mortes por dia. Os números são bem menores do que nos piores momentos da crise: o país chegou a ter mais de 3.000 óbitos diários em razão da infecção.

Apesar de a infecção seguir fazendo vítimas, os americanos deixaram de lado quase todas as medidas de proteção nos últimos meses. O uso de máscaras deixou de ser obrigatório em praticamente todas as situações, e poucas pessoas ainda utilizam o item no dia a dia. Nos EUA, 67% dos habitantes estão com o primeiro ciclo vacinal completo, e 79% tomaram ao menos uma dose de imunização contra a Covid.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos