Biden recorda o assassinato de Osama bin Laden há 10 anos

·1 minuto de leitura
O presidente dos EUA, Joe Biden, deixa St. Joseph na Igreja Católica Brandywine em Wilmington, Delaware, em 1º de maio de 2021.

O presidente dos EUA, Joe Biden, aproveitou o 10º aniversário da operação que matou o líder extremista Osama bin Laden, neste domingo (2), para reafirmar sua decisão de retirar todas as tropas americanas do Afeganistão.

"Seguimos Bin Laden até as portas do inferno e o pegamos", disse Biden em um comunicado divulgado pela Casa Branca. "Cumprimos uma promessa a todos os que perderam entes queridos no 11 de setembro: que nunca esqueceríamos aqueles que perdemos e que os Estados Unidos nunca vacilariam em seu compromisso de prevenir outro ataque à nossa pátria".

Biden, que anunciou no mês passado que encerraria a guerra mais longa da América antes do 11 de setembro, elogiou o então presidente Barack Obama por sua decisão de 2011 de aprovar a operação secreta contra o líder da Al Qaeda, e elogiou as forças especiais que a realizaram no Paquistão.

Ver a operação à distância de uma sala de crise lotada na Casa Branca, Biden disse, foi "um momento que nunca esquecerei - os profissionais de inteligência que o identificaram; a clareza e a convicção do presidente Obama ao tomar a decisão; a coragem e habilidade de nossa equipe no terreno".

Agora, quando os Estados Unidos começam a retirar a última de suas tropas do Afeganistão, Biden afirma: "A Al Qaeda está altamente degradada lá. Mas os Estados Unidos continuarão atentos à ameaça de grupos terroristas que se espalharam pelo mundo".

"Continuaremos monitorando e derrotando qualquer ameaça que surja no Afeganistão. E trabalharemos para conter as ameaças terroristas à nossa pátria e aos nossos interesses em cooperação com aliados e parceiros em todo o mundo".

bbk/st/gma/gm/ap/mvv