Biden ri e não responde sobre quando pretende conversar com Bolsonaro

·2 minuto de leitura
President Joe Biden smiles after signing a series of executive orders on health care, in the Oval Office of the White House, Thursday, Jan. 28, 2021, in Washington. (AP Photo/Evan Vucci)
Ao fim de uma coletiva nesta quinta-feira (28), Biden foi perguntado quando ele pretende conversar com Bolsonaro. (Foto: AP Photo/Evan Vucci)

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, manteve-se em silêncio e apenas deu risada ao ser questionado sobre quando pretende conversar com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

Ao fim de uma coletiva nesta quinta-feira (28), Biden foi perguntado quando ele pretende conversar com Bolsonaro. A pergunta foi feita pela repórter Raquel Krähenbühl, correspondente da TV Globo nos Estados Unidos e representante da emissora nas coberturas do cotidiano da Casa Branca.

“Senhor presidente, quando o senhor vai falar com o presidente brasileiro?”, perguntou Krähenbühl, no Salão Oval da Casa Branca. “Quando vai falar com Bolsonaro?”. Biden, então, olha para a repórter, ri e coloca a máscara, ainda em silêncio.

Assista:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Até agora, a única manifestação de Bolsonaro sobre a relação com os Estados Unidos após a derrota de Donald Trump nas eleições americanas ocorreu somente no dia da posse de Biden, em 20 de janeiro.

Em uma carta com tom diplomático, o presidente brasileiro cumprimentou o americano e disse que lhe enviou uma carta expondo um "excelente futuro para a parceria Brasil-EUA".

Leia também

"Cumprimento Joe Biden como 46º Presidente dos EUA. A relação Brasil e Estados Unidos é longa, sólida e baseada em valores elevados, como a defesa da democracia e das liberdades individuais. Sigo empenhado e pronto para trabalhar pela prosperidade de nossas nações e o bem-estar de nossos cidadãos", escreveu o presidente no Twitter.

"Para marcar essa data, enderecei carta ao Presidente dos EUA, Joe Biden, cumprimentando-o por sua posse e expondo minha visão de um excelente futuro para a parceria Brasil-EUA".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Bolsonaro foi um dos chefes de Executivo que mais relutou em cumprimentar o democrata pela vitória nas eleições presidenciais dos EUA, realizadas em novembro passado.

Entusiasta de Trump, o presidente brasileiro chegou a afirmar repetidas vezes as alegações, sem evidências, de que teria havido fraude nas eleições dos Estados Unidos.

Durante a corrida à Casa Branca, Biden chegou a criticar a política ambiental do governo Bolsonaro para a Amazônia. O presidente brasileiro rebateu o democrata na ocasião.