Biden fala com papa Francisco sobre mudança climática, pandemia e migração

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e a primeira-dama, Jill Biden, desembarcam do Air Force One em sua chegada ao Aeroporto Internacional de Roma, em 29 de outubro de 2021 (AFP/Brendan Smialowski)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, teve uma reunião de 90 minutos com o papa Francisco nesta sexta-feira (29), no Vaticano, durante a qual falaram sobre pobreza, mudança climática, pandemia e migração, em um encontro antes da cúpula do G20 em Roma.

Foi uma das reuniões mais longas que o papa já teve com um presidente americano, com o qual compartilha posicionamentos sobre a defesa do meio ambiente e o combate ao coronavírus.

"Em suas conversas cordiais, eles falaram do compromisso comum de proteger e cuidar do planeta, da situação sanitária e do combate à pandemia de covid-19, assim como da questão dos refugiados e da assistência aos migrantes", disse o Vaticano em nota.

"O presidente Biden agradeceu à Sua Santidade pela defesa dos pobres do mundo e dos que passam fome, sofrem conflitos e perseguição. Elogiou a liderança do papa Francisco na luta contra a mudança climática, assim como sua defesa para garantir que a pandemia termine para todos por meio da troca de vacinas e de uma recuperação econômica global igualitária", resumiu também a Casa Branca em nota.

A reunião - particularmente longa, já que com Barack Obama durou 52 minutos, e com Donald Trump, 30 minutos - foi o primeiro encontro de Biden em sua agenda apertada, devido à cúpula do G20 de dois dias na capital italiana e à conferência das Nações Unidas sobre a mudança climática COP26 em Glasgow (Reino Unido).

Biden, que se reuniu três vezes como vice-presidente com o papa, chegou acompanhado por uma delegação de aproximadamente dez pessoas, entre elas sua esposa, Jill.

"Muito obrigado. É bom estar de volta", disse Biden a um dos funcionários do Vaticano e, depois, brincou com outro funcionário que falava com sua esposa: "Sou o marido de Jill", acrescentou.

Seguindo a tradição, a reunião ocorreu a portas fechadas na biblioteca privada do papa no palácio apostólico e foi organizada na véspera da cúpula de sábado e domingo, em Roma, com os chefes de Estado e de Governo das 20 maiores economias do mundo.

No fim da reunião, os dois trocaram presentes conforme previsto pelo protocolo. Biden presenteou o papa com uma casula feita em 1930, enquanto Francisco entregou-lhe uma pintura em azulejo de cerâmica e uma edição especial de seus escritos e documentos.

Nenhuma das duas notas oficiais sobre a reunião mencionou a questão sensível do aborto.

"Também falaram da proteção dos direitos humanos, incluindo o direito à liberdade de religião e de consciência", informou o Vaticano.

Na segunda-feira, o presidente americano se desloca para Glasgow (Reino Unido) para participar da importante cúpula climática das Nações Unidas COP26.

Depois do encontro com o papa, Joe Biden se reúne com o chefe do governo italiano, Mario Draghi, anfitrião da cúpula do G20 e ex-presidente do Banco Central Europeu. Draghi desperta muita curiosidade nos Estados Unidos por seus projetos de reforma.

Para Biden, que perdeu popularidade desde sua eleição, o G20, assim como a grande cúpula da COP26 em Glasgow, na Escócia, são oportunidades para relançar sua imagem e enterrar definitivamente a era Trump.

Também nesta sexta-feira, ele se reunirá em particular, em Roma, com o presidente francês, Emmanuel Macron, na tentativa de virar a página da grave crise relacionada com os contratos de submarinos ocorrida em meados de setembro e selar a reconciliação.

Esse assunto e a retirada caótica do Afeganistão pesam na aura de Biden, que repete que "a América está de volta" à cena internacional.

bur-kv/dbh/rsr/mar/es/tt/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos