Biden toma posse: novo presidente dos EUA recebe mensagem 'muito generosa' deixada por Trump na Casa Branca

Redação - BBC News Mundo
·3 minuto de leitura
Joe Biden
Depois de prestar juramento, Joe Biden foi à Casa Branca para iniciar suas primeiras ações como presidente

Donald Trump deixou uma mensagem "muito generosa" e "gentil" para seu sucessor na quarta-feira (20).

O novo presidente, Joe Biden, disse que ao chegar à Casa Branca encontrou uma carta de seu antecessor, uma prática que se tornou costume na transferência de poder nos Estados Unidos.

Biden não compartilhou o conteúdo da mensagem, mas não descartou fazê-lo no futuro: "Por ser privado, não falarei sobre isso até falar com ele. Mas ele foi generoso", disse o presidente aos jornalistas.

Em sua primeira entrevista coletiva, a porta-voz presidencial, Jen Psaki, reiterou que a carta era "generosa e gentil" e que só seria divulgada se Biden e Trump decidissem mostrá-la.

Deixar uma mensagem no gabinete presidencial é uma das várias tradições na transferência da presidência dos Estados Unidos e foi possivelmente a única que Trump não quebrou. O ex-presidente nunca reconheceu a vitória do democrata nas eleições de novembro de 2020 e não esteve na posse de seu sucessor, algo que não acontecia desde 1869.

Trump
Donald Trump disse adeus à Casa Branca e foi morar na Flórida

Ao chegar ao governo, em 2017, Donald Trump recebeu uma mensagem de Barack Obama, seu antecessor: "Parabéns pela campanha extraordinária".

"Milhões de pessoas depositaram suas esperanças em você. Todos nós, independentemente do partido, devemos esperar maior prosperidade e segurança durante sua gestão", escreveu ele na carta na qual também compartilhou reflexões sobre seu governo.

"Voltaremos de alguma forma"

Trump saiu de Washington na quarta-feira. Ele e sua esposa se mudaram para a residência em Mar-a-Lago, na Flórida, em sua última viagem a bordo do avião presidencial, o Air Force One.

Mas antes disso, o agora ex-presidente disse a seus apoiadores: "Voltaremos de alguma forma. Nos veremos em breve".

"Desejo ao novo governo boa sorte e sucesso. Eles têm a base para fazer algo realmente espetacular", disse ele. "Foi uma honra e um privilégio ser presidente. Sempre lutarei por vocês. Estarei assistindo, estarei ouvindo."

Apesar de já ter deixado o cargo, o ex-presidente ainda enfrenta um segundo julgamento de impeachment no Senado e a ameaça de várias investigações judiciais paira sobre ele.

Mudanças

Horas depois de tomar posse como o 46° presidente dos Estados Unidos, Joe Biden começou a desfazer algumas das principais políticas de Donald Trump,

Ele assinou 15 ordens executivas e 2 memorandos, com o objetivo de impulsionar a resposta federal à crise do coronavírus e reverter a posição do governo anterior sobre questões-chave, como mudanças climáticas, imigração e relações raciais.

Entre as medidas, Biden determinou o retorno dos Estados Unidos ao Acordo Climático de Paris. Donald Trump havia retirado o país do acordo no ano passado. A medida foi sua promessa de campanha.

Arovado em 2015 por 195 países, o Acordo de Paris prevê metas de redução de emissões de carbono para impedir que a temperatura média no planeta aumente mais do que 2ºC em comparação com níveis pré-industriais. Cientistas preveem que isso provocaria sucessivas catástrofes ambientais.

Biden está avançando com uma velocidade sem precedentes na execução de sua agenda. Em comparação, Trump havia assinado apenas oito ordens executivas depois de duas semanas na Casa Branca; o presidente Barack Obama, nove; Bill Clinton, três; e George W. Bush, duas.

A expectativa é que várias outras ordens executivas sejam assinadas por ele nos próximos dias.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!