Bilionário planeja cidade do futuro por US$ 500 bilhões; veja o que ela vai ter

·1 minuto de leitura
.
Projeto inclui a construção de hotéis, spas luxuosos, estádios e locais de exposição de arte pública (Divulgação)
  • Ex-executivo do Walmart quer investir em uma metrópole totalmente planejada 

  • Construção da cidade utópica seria no deserto estadunidense

  • Empresário planeja desenvolver a ideia nos próximos 30 anos

Nem todos os bilionários do mundo estão gastando dinheiro com viagens ao espaço. Marc Lore, ex-executivo do Walmart, anunciou planos audaciosos para desenvolver sem precisar sair do planeta terra: uma nova cidade utópica no deserto norte-americano, com carros autônomos e arranha-céus construídos com sistema de eficiência energética.

Leia também:

Pensada para abrigar cerca de 5 milhões de pessoas nos próximos 30 anos, a construção do local pode custar até US$ 500 bilhões. Para criar 'Telosa', nome escolhido para a metrópole, o empresário deixou o posto diretor de comércio eletrônico do Walmart, se concentrando apenas na criação da "cidade do futuro".

Recentemente Lore compartilhou mais detalhes sobre o projeto, dizendo à Fortune que estava tentando “criar um novo modelo para a sociedade, onde a riqueza é criada de forma justa”. Ele diz que a criação seria uma “versão reformada do capitalismo”.

Um escritório de arquitetura dinamarquês foi escolhido para projetar esta metrópole dos sonhos, incluindo hotéis, spas luxuosos, estádios e locais de exposição de arte pública na planta. 

Sem carros ou ruas, o local se propõe a uma modelo de locomoção com emissão zero de carbono. Os residentes seriam transportados por carros autônomos e trânsito de alta velocidade.

Nos próximos anos descobriremos se Marc Lore conseguiu implantar a cidade dos sonhos. Até lá, metrópoles futuristas como essa continuarão existindo apenas na imaginação de quem sonha com um mundo diferente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos