Bilionário russo morre após cair de janela de hospital em Moscou

Bilionário russo morre após cair de janela de hospital em Moscou (Foto: Mikhail KLIMENTYEV / SPUTNIK / AFP)
Bilionário russo morre após cair de janela de hospital em Moscou (Foto: Mikhail KLIMENTYEV / SPUTNIK / AFP)
  • O corpo do bilionário foi encontrado nas dependências do Hospital Clínico Central;

  • O executivo teria sido internado no local após sofrer um ataque cardíaco;

  • O caso está sendo investigado como suicídio.

Agência internacionais informaram nesta quinta-feira (1º) que o presidente do conselho da Lukoil, maior empresa privada de petróleo da Rússia, Ravil Maganov, morreu após cair da janela do 6° andar de um hospital em Moscou. Sem dar muitos detalhes sobre o falecimento, a empresa Lukoil informou apenas que Maganov "faleceu após uma doença grave".

O corpo do bilionário foi encontrado nas dependências do Hospital Clínico Central, local onde o executivo teria sido internado após sofrer um ataque cardíaco. O centro médico é conhecido por tratar a elite política e empresarial do país.

Segundo informações da agência de notícias estatal Tass, o incidente aconteceu por volta das 7h (1h em Brasília). Uma fonte polícial não identificada disse a agência que o caso está sendo investigado como suicídio, pois, apesar da internação ter sido motivada pelo problema cardíaco, Maganov, de 67 anos, estava tomando antidepressivos.

Ravil Maganov foi um dos fundadores da Lukoil, em novembro de 1991.De acordo com a empresa, foi ele quem imaginou e propôs o nome Lukoil. Depois de ocupar vários cargos de gestão (vice-presidente de produção de petróleo em 1994, primeiro vice-presidente executivo da empresa em 2006), foi nomeado presidente do conselho de administração em 2020.

A companhia foi uma das poucas empresas russas a pedir publicamente o fim da operação militar da Rússia na Ucrânia, pedindo em março a "cessação imediata do conflito armado".

Vários executivos que ocupavam cargos ligados à indústria de energia da Rússia morreram em circunstâncias pouco claras nos últimos meses. No dia seguinte a Rússia ter invadiu a Ucrânia, um executivo da Gazprom, Alexander Tiulakov, foi encontrado morto em sua garagem. Em abril, Serguei Protosenia, ex-gerente da Novatek, foi encontrado morto com sua esposa e filha numa vila na Espanha. Em maio, executivos da Lukoil e Gazprombank também morreram em situações parecidas.