Bilionário russo processa autoridades francesas após ter dois iates apreendidos

Bilionário russo processa autoridades francesas após ter dois iates apreendidos (Foto: VALERY HACHE/AFP via Getty Images)
Bilionário russo processa autoridades francesas após ter dois iates apreendidos (Foto: VALERY HACHE/AFP via Getty Images)
  • As duas embarcações do bilionário russo são avaliadas em mais de R$ 520 milhões;

  • O oligarca alegou agora que as autoridades alfandegárias francesas não entrar e confiscar os iates;

  • Alexei Kuzmichev foi sancionado pela União Europeia durante a guerra na Ucrânia.

Autoridades francesas foram processadas por terem confiscado dois super iates de um bilionário russo sancionado pela União Europeia. O dono das embarcações Alexei Kuzmichev é cofundador do maior banco privado da Rússia, Alfa-Bank, e teve as embarcações apreendidas em março, quando o Ocidente reprimiu os ativos russos.

Kuzmichev alegou agora que as autoridades alfandegárias francesas não tinham o direito de entrar e imobilizar os dois navios atracados na Riviera Francesa, segundo a Bloomberg.

O iate de 17 metros de Kuzmichev, "Little Bear I", avaliado em US$ 22 milhões, foi confiscado em Cannes, enquanto seu outro iate "Little Bear II", avaliado em US$ 76 milhões, foi apreendido em Antibes, disse uma fonte do governo.

Philippe Blanchetier, advogado de Kuzmichev, disse ao tribunal de apelações de Paris na quarta-feira que as autoridades investigaram os dois iates por violações de sanções, mas não conseguiram descobrir nada de errado, informou a Bloomberg.

"Nenhum dos relatórios de inspeção sequer sugere a possibilidade de uma infração", afirmou Blanchetier, segundo a Bloomberg. "Ser russo e rico não faz de você necessariamente um bandido."

Os capitães de ambos os iates não tiveram seus direitos lidos, acrescentou Blanchetier, segundo o relatório.

Blanchetier afirmou que imobilizar os iates de Kuzmichev foi uma "heresia legal" das autoridades, acrescentando que era mais uma apreensão do que um congelamento de bens e ia além das sanções da UE, informou a Bloomberg.

Marie-Anne Josrolland, funcionária da alfândega, disse à Bloomberg: "As medidas de congelamento são imediatamente aplicáveis ​​e as alfândegas devem garantir o cumprimento". Ela disse à publicação que as autoridades tinham o direito de embarcar nos iates para investigar se eles haviam evadido as sanções da UE ou não.

Kuzmichev deixou a empresa de investimentos de US$ 22 bilhões LetterOne no início de março. A UE disse em um relatório anunciando as sanções, que Kuzmichev tinha "laços bem estabelecidos" com o presidente russo Vladimir Putin e era "uma das pessoas mais influentes na Rússia".