Bilionários russos ficam de fora de festas europeias para não perder iates

Sanções impostas por países europeus, como Espanha e Itália, tornaram suas águas perigosas para oligarcas da Rússia. Foto: REUTERS/Stevo Vasiljevic.
Sanções impostas por países europeus, como Espanha e Itália, tornaram suas águas perigosas para oligarcas da Rússia. Foto: REUTERS/Stevo Vasiljevic.
  • Magnatas russos se afastam de águas europeias com medo de perder seus iates de luxo;

  • Mais de uma dúzia de iates avaliados em mais de US$ 2,25 bilhões já foram apreendidos, segundo a Bloomberg;

  • Sanções impostas por países europeus, como Espanha e Itália, tornaram suas águas perigosas para oligarcas russos.

Os oligarcas russos estão se distanciando das regiões europeias onde podem ter seus bens de luxo confiscados, como o Mar de Baleares, ponto de encontro festivo que recebe a temporada de verão no continente, com suas boates famosas e ilhas ensolaradas.

Desde que a guerra começou, as sanções impostas por países europeus, como Espanha e Itália, tornaram suas águas perigosas para magnatas da Rússia, que temem ter seus megaiates e outros itens luxuosos confiscados.

Leia também:

Segundo a empresa de dados e notícias do mercado financeiro Bloomberg, mais de uma dúzia de iates avaliados em mais de US$ 2,25 bilhões, cerca de R$ 11 bilhões na cotação atual, já foram apreendidos.

De acordo com análise da Spire Global, companhia especializada em rastreamento de conjuntos de dados globais, apenas um navio ligado a um oligarca russo foi avistado na região das ilhas turísticas de Maiorca e Ibiza.

“Todo russo rico que possui um megaiate, mesmo que não esteja nas listas sancionadas agora, definitivamente pensará duas vezes antes de mudar seus iates para Maiorca, Ibiza ou qualquer lugar da Europa”, afirma o influenciador Denis Suka, que descreve sua conta no Instagram como 'o maior perfil de iatismo do mundo'.

Depois que a guerra começou, as embarcações de luxo se dispersaram por regiões menos propensas a confiscá-las, como o Mar Laccadive, perto das ilhas tropicais da Maldivas.

Entre algumas das jurisdições 'confortáveis' para os magnatas esconderem seus megaiates estão Seychelles, Maldivas, Dubai, Fiji, alega o executivo-chefe da empresa de segurança marítima IR Consilium, Ian Ralby.

*Com informações do jornal o Globo.