Bisneto de Niemeyer fala sobre ataque a prédios em Brasília: 'Quem destrói a própria casa?'

Chamou a atenção de Paulo Niemeyer, bisneto de Oscar Niemeyer, o grande arquiteto responsável pela construção de Brasília junto com Lúcio Costa, os terroristas falarem que estavam entrando na "casa do povo" ao invadirem os prédios públicos da capital, no último domingo.

— Quem destrói a própria casa? É um absurdo completo — disse Paulo, que trabalhou com o bisavô e foi sócio dele no escritório de arquitetura e detentor da marca Oscar Niemeyer.

Ataques terroristas: relógio destruído por golpistas no Planalto é único e exemplar semelhante está em Versalhes

De relógio doado por corte de Luís XIV a tela de Di Cavalcanti: veja lista com obras de arte danificadas em Brasília

Oscar Niemeyer, cuja morte, aos 104 anos, completou uma década em dezembro passado, foi responsável pela concepção dos edifícios públicos de Brasília, inaugurada em 1960. São dele, portanto, os projetos arquitetônicos dos prédios do Congresso Nacional (que compreende a Câmara dos Deputados e o Senado), do Supremo Tribunal Federal e do Palácio do Planalto, sedes do Legislativo, Judiciário e Executivo, respectivamente, todas vandalizadas por terroristas.

Entenda: mesa de JK, usada como barricada por terroristas, foi retirada de acervo contra recomendação

Baseado em sua experiência, o neto de Niemeyer acredita que com um ou dois meses é possível reconstruir o que foi danificado.

— A questão principal é de arrumação. Meu bisavô dizia que a obra dele estava pronta quando a estrutura estava pronta — disse Paulo. — Os prédios estão inviolados. O que eles conseguiram com a ignorância foi desarrumar a casa. O que entendo como restauro é a limpeza, mobiliário, esquadrias.

O arquiteto também chama atenção para o paisagismo, também degradado. Mas, confiante na formação de um grupo multidisciplinar para a reorganização, Paulo tem esperanças de ver essa arquitetura tão importante para o Brasil novamente celebrada:

— Brasília é a fênix da arquitetura. Esperemos que seja tudo feito até abril para comemorar o aniversário da cidade. Seria um bom para o resgaste.