Bitcoin volta aos holofotes – e à mira de investidores – em alta histórica

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Bitcoin em alta. (Foto: Getty Images)
Bitcoin em alta. (Foto: Getty Images)

O Bitcoin, mais famoso dos criptoativos, está de volta aos holofotes do mundo dos investimentos, e com força total. A moeda se aproxima da alta histórica do final de 2017, quando bateu quase US$ 20 mil.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

No fechamento deste texto, era negociado por mais de US$ 18 mil.

Leia também:

Vale lembrar que a altíssima volatilidade ainda é uma marca dos criptoativos. Logo depois do pico de 2017, o valor do Bitcoin caiu drasticamente, e seguiu em queda até US$ 3,2 mil um ano depois, antes de retomar a curva ascendente.

Mas o contexto de lá pra cá mudou. Segundo analistas, o que vem fomentando a atual alta do Bitcoin é o cenário de volatilidade dos mercados internacionais, “contaminados” pelas sucessivas ondas da COVID-19 na Europa e nos Estados Unidos, além das eleições conturbadas nesse país.

Nesse contexto de incertezas, grandes investidores têm apostado nos criptoativos como reservas de segurança, em alguns aspectos mais interessantes até que o ouro, ativo classicamente visto como “porto-seguro”, mas que no último ano não viu performances tão robustas.

O apoio de grandes empresas, como o sistema de pagamentos Square, que anunciou investimentos em bitcoins, e o PayPal, que revelou uma nova ferramenta que possibilidade a compra e venda de criptoativos em sua rede, também acelerou os ganhos.

Apesar de analistas apostarem que este seria apenas o início de um ciclo de valorização, vale lembrar que a própria comunidade do Bitcoin vê a moeda digital dentro de um estágio de amadurecimento, que no futuro deve oferecer a seus possuidores uma plataforma segura de reserva de valores.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube