Bivar diz que ministros do União Brasil não representam partido

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente nacional do União Brasil, Luciano Bivar, diz que nenhum dos três ministros que participarão do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é considerado pelo partido seu representante.

"Nenhum é da cota do partido. O partido seguirá independente, até porque a gente tem algumas divergências internas. O que o União Brasil se dispôs é contribuir com o ministério, para ajudar no sucesso do governo, que é o sucesso do Brasil", afirma Bivar.

Três ministros filiados ao União Brasil estarão no primeiro escalão: Daniela do Waguinho (Turismo), Juscelino Filho (Comunicações) e Waldez Góes (Integração Nacional). Atual governador do Amapá, Góes é filiado ao PDT, mas deverá mudar de partido.

Bivar diz que foi chamado na manhã desta quinta-feira (29) por Lula para uma conversa, em que foi questionado se haveria algum impedimento para o partido com as nomeações de filiados. "Eu disse que não, até me senti lisonjeado. São quadros muito qualificados", afirmou.

O partido não deverá ter alinhamento automático às pautas do governo Lula no Congresso, pelo fato de que parte expressiva do partido se coloca contra o petista. O mais conhecido entre os opositores é o senador eleito Sergio Moro (PR).