Sem maquiagem: Black Friday 2014 cria selo contra fraudes

Fernanda Capelli
O selo Black Friday Legal é uma das maneiras para combater práticas fraudulentas durante o dia de ofertas (Foto: Divulgação)


Criada no Brasil em 2010, a Black Friday já foi criticada por conta da ação de alguns maus lojistas e até apelidada de “Black Fraude”. Com a imagem prejudicada por falsas ofertas e maquiagem nos preços feitas por certos comerciantes, os organizadores brasileiros estão aperfeiçoando técnicas para combater possíveis golpes.

Uma das maneiras para barrar o sobe e desce dos preços é a criação do selo Black Friday Legal. Com ele, o consumidor saberá se a empresa se comprometeu a seguir o Código de Ética durante o dia de ofertas. Segundo as regras, o site ou loja que praticar qualquer ação fraudulenta poderá ser expulso da rede que organiza o evento.

“O Black Friday Legal é uma iniciativa da Câmera Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) em parceria com o Busca Descontos para ajudar o consumidor brasileiro a separar o joio do trigo no mundo digital”, explica Ludovino Lopes, presidente da camara-e.net. “As empresas que participam do programa são identificadas pelo selo Black Friday Legal e o consumidor já sabe que elas se comprometeram com as boas práticas do comércio eletrônico, como oferecer apenas descontos reais e entregar os produtos dentro do prazo prometido”, completa.

Para conseguir o selo, os lojistas devem passar por inspeção da camara-e.net, que verifica informações da empresa, como validade do CNPJ, telefones e endereços.

Em 2013, primeira edição do Black Friday Legal, 124 empresas foram cadastradas e assinaram o Código de Ética da Black Friday Brasil. Para este ano, a expectativa é aumentar o número de lojas virtuais participantes. Até a sexta-feira (21), quando se encerram as inscrições, estima-se que cerca de 150 lojas terão aderido ao programa, um crescimento de 20% em relação ao ano passado.

A criação do programa Black Friday Legal ajudou a trazer mais credibilidade ao evento, tanto que pesquisa feita pelo Busca Descontos com 20.841 e-consumidores revelou que 96% pretendem fazer compras na data. Para os organizadores, o resultado do levantamento se deve à boa experiência do consumidor online na edição passada.

Porém, com tamanha previsão de crescimento do número de participantes, é sempre bom ser cauteloso na hora de fechar a compra. “Garantir que não vai haver problema é muito difícil, porque são muitas lojas e diversos fatores envolvidos”, alerta Gastão Matto, CEO da Braspag, ligada à Cielo. “A dica para o consumidor que identificar lojas com possíveis maquiagem de preço é não comprar nessa loja. Centenas de opções estarão disponíveis, então o ideal é procurar lojas que vão ofertar e dar desconto de verdade”, sugere Pedro Eugênio Piza, fundador do site Busca Descontos e organizador do evento no Brasil.












Leia também:
Pico de vendas da Black Friday deverá ser entre 16h e 17h
Vai comprar na Black Friday? Veja dicas para aproveitar as ofertas com segurança
Segurança na internet: 10 dicas para aproveitar as compras online da Black Friday