Black Friday: confira dez dicas para evitar cair no golpe do boleto falso

Com a Black Friday chegando, além de grandes ofertas, surgem também as mais diversas possibilidades de golpes, e muitas delas envolvem pagamentos por meio de boletos falsos. Neste caso, assim que o consumidor efetua o pagamento, o valor não vai para a loja oficial, mas é transferido para a conta de criminosos.

Pesquisa: Maior parte dos brasileiros que vão comprar na Black Friday quer parcelar compras

Otimismo moderado: Black Friday, Copa, 5G e Natal animam varejo, mas inflação e dívidas preocupam

Confira dicas sobre como identificar documentos falsos e evitar cair em cilada na tentativa de aproveitar os descontos:

1. Código de barras

Boletos falsos podem apresentar falhas no código de barras, como espaços que dificultam a leitura de sensores e exigem que os números sejam digitados manualmente.

2. Nome e dados do beneficiário

Boletos falsificados podem apresentar o nome da empresa beneficiária escrita de uma forma incorreta. Outras informações, como o CNPJ e o endereço, também devem ser conferidas. Na parte do documento onde aparece o destinatário da transferência, deve aparecer a razão social da empresa, e não o nome de uma pessoa física.

3. Verifique o e-mail

Empresas costumam ter endereços de e-mail oficiais para enviar os boletos, em vez de contas Gmail ou Outlook, por exemplo. Note também se houver números ou alguma mudança nas letras do padrão de endereço de email.

4. Valor e envio boleto

Boletos fraudados podem trazer valores alterados, mesmo que em centavos. Desconfie também se você deveria ter recebido o boleto por um canal de atendimento e acabou recebendo por outro.

5. Cheque o código do banco

Os códigos bancários têm três dígitos e sempre aparecem na frente da sequência do código de barras. Se encontrar alguma diferença entre o banco e o código, possivelmente o boleto não é verdadeiro.

6. Evitar imprimir boletos

Há vírus capazes de modificar o valor e o destino do boleto assim que o documento é aberto para impressão. Além disso, conte com um bom antivírus para evitar invasões.

7. Aderir ao Débito Direto Autorizado (DDA)

Ao aderir ao DDA no seu banco de preferência, você consegue visualizar todos os boletos que estão sendo emitidos em seu CPF ou CNPJ.

Para se cadastrar, basta abrir um registro como pagador eletrônico no banco. Caso haja cobrança no nome do cliente, a ferramenta envia o boleto de forma eletrônica, o que facilita o reconhecimento da dívida.

8. Evite navegar por links de promoções

Desconfie de banners que te direcionam para outras páginas, preferindo sempre ingressar diretamente na loja pretendida. Evite ingressar em links recebidos por e-mail, pois podem te direcionar para um site clonado ou falso.

9. Não instale programas nem forneça senhas

Não proceda com a instalação de softwares para a emissão de boletos ou confirmação de compras. Jamais forneça senhas e códigos de verificação fora da plataforma que efetivou a compra.

10. Desconfie de preços muito baixos

Ainda que os descontos sejam comuns no período da Black Friday, desconfie de promoções que coloquem preços muito inferiores à concorrência.

Estratégia: Varejo se volta para eletroeletrônicos premium, focando no consumidor que pode pagar

O que fazer em caso de pagamento indevido?

Infelizmente, o consumidor terá muita dificuldade em reaver o valor pago indevidamente, já que os sites oficiais não podem ser responsabilizados por golpes praticados por terceiros.

Assim, a orientação é proceder com o registro do ocorrido via boletim de ocorrências e buscar orientação junto ao Procon ou a outro órgão de proteção ao consumidor.