Black Friday: Pesquisa aponta que roupas da Shein e livros são os mais desejados

Estudo fez um mapeamento de postagens em redes sociais com os termos “quero comprar” ou “queria comprar” ou “querendo comprar”, entre os meses de outubro e novembro (Getty Creative)
Estudo fez um mapeamento de postagens sobre a Black Friday em redes sociais com os termos “quero comprar” ou “queria comprar” ou “querendo comprar”, entre os meses de outubro e novembro (Getty Creative)
  • Estudo levantou que roupas da Shein e livros estão no topo da preferência de consumidores para esta Black Friday;

  • Levantamento considerou 849.954 posts publicados por 392.982 usuários distintos através do mapeamento de postagens em redes sociais;

  • Neste ano, a Black Friday deve movimentar R$ 6,05 bilhões no comércio eletrônico, com o número de pedidos chegando a 8,3 milhões.

Um estudo da Buzzmonitor levantou que roupas da Shein e livros são alguns dos itens mais desejados pelos consumidores nesta Black Friday.

Segundo informações do portal InfoMoney, o levantamento considerou 849.954 posts publicados por 392.982 usuários distintos através do mapeamento de postagens em redes sociais com os termos “quero comprar” ou “queria comprar” ou “querendo comprar”, entre os meses de outubro e novembro.

Como o estudo separou as preferências de Black Friday por meio dos termos mais buscados, a conclusão foi que 13% das publicações mencionavam "roupas". Em segundo lugar entre as palavras mais citadas vem "Black", em terceiro "Shein" e em quarto "Livros".

Neste ano, a Black Friday deve movimentar R$ 6,05 bilhões no comércio eletrônico, com o número de pedidos chegando a 8,3 milhões, de acordo com um projeção da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Para evitar cair nessas falsas tentações, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e o portal CNN Brasil Business reuniram algumas dicas:

Acompanhamento dos preços

Os consumidores devem acompanhar os preços dos produtos desejados e identificar se o fornecedor está realmente oferecendo um desconto real. Caso o preço diminua logo após a compra pela Black Friday, o instituto orienta registrar uma reclamação no Procon, que vai tentar a intermediação com a empresa.

Utilize plataformas de comparativos

As plataformas servem para criar um alerta nos produtos que deseja comprar e ainda oferecem gráficos que exibem a variação de preços de um produto em um período determinado. Duas das mais conhecidas são o Zoom e o Buscapé.

Black Friday de Verdade

Por meio da plataforma, é possível comparar e monitorar preços nas maiores lojas da internet, além de obter alguns cupons de desconto.

Reputação da loja X Preços tentadores

Para evitar dores de cabeça com possíveis armadilhas, é importante ficar atento com a reputação da loja em sites de confiança e reputação como o Reclame Aqui ou o Procon, além de verificar se o site é seguro e possui o "https" na frente e o símbolo do cadeado ao lado do endereço. E, acima de tudo, desconfie de promoções que oferecem descontos fora do normal.