Blinken pede que Egito melhore em questão de direitos humanos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
O secretário de Estado americano, Antony Blinken (dir.), ouve o ministro das Relações Exteriores do Egito, Sameh Shoukry (esq.), durante diálogo estratégico em Washington, em 8 de novembro de 2021 (AFP/Alex Brandon)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, exortou nesta segunda-feira (8) o Egito a realizar "melhoras tangíveis e duradouras" em direitos humanos, na abertura do "diálogo estratégico" com o país aliado, que é acusado por organizações independentes de violar as liberdades individuais.

Blinken pediu avanços nas detenções preventivas, na liberdade de imprensa e em outros âmbitos, "não porque os Estados Unidos estão pedindo", mas porque "isso é do interesse do povo egípcio".

"Fazer progressos tangíveis e duradouros em matéria de direitos humanos" é necessário "para fortalecer nossa relação bilateral", advertiu Blinken, ao receber o ministro das Relações Exteriores do país árabe, Sameh Shoukry, em Washington.

"Os Estados Unidos seguirão apoiando esses esforços através de todos os meios", acrescentou o titular da diplomacia americana.

Shoukry, por sua vez, considerou que os direitos humanos representam o "progresso evolutivo", que é "único em cada país", com suas próprias características religiosas, sociais e culturais.

Desde que chegou ao poder em 2014, o presidente egípcio Abdel Fattah al Sisi realiza uma forte repressão contra a dissidência no país. Grupos de defesa dos direitos humanos calculam que existam atualmente cerca 60 mil presos políticos no país árabe.

O presidente de Estados Unidos, Joe Biden, afirma que os direitos humanos e a promoção da democracia são uma prioridade de sua política externa, o que se choca com frequência com os interesses americanos em relação a aliados considerados cruciais, como o Egito.

Em setembro, várias ONGs acusaram o governo Biden de hipocrisia por afirmar que apenas condicionaria uma pequena parte de sua ajuda militar ao Egito com o respeito aos direitos humanos.

sct/mlm/erl/gm/rpr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos