Blitz em Cuité, na Paraíba, só parava carros com adesivo de Lula, diz homem que foi parado

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Helder Teixeira, morador de Cuité (PB), disse à Folha de S.Paulo que foi parado em uma blitz da PRF na entrada da cidade às 8h30 deste domingo (30). O carro dele tem um adesivo de Lula (PT). De com ele, no tempo em que ficou retido na blitz, cerca de 15 minutos, apenas um outro veículo foi parado, também adesivado em apoio ao candidato petista.

Teixeira afirmou que, ao ser parado, um agente da PRF solicitou que fizesse o exame do bafômetro. Ao realizar o teste, o policial informou que tinha acusado o uso de bebida alcóolica. Teixeira discordou e disse que não tinha bebido.

O agente da PRF, então, teria orientado Texeira a comprar uma água no posto de gasolina próximo, esperar um tempo e refazer o exame. Na segunda vez, o teste deu negativo e foi liberado. Teixeira ficou cerca de 15 minutos ao todo no local.

"Quando fiquei esperando para fazer o segundo teste, chegou o juiz de direito da minha cidade para ver o que estava acontecendo. [A PRF] disse que era de rotina quando tem eleição e feriado, mas isso é conversa porque no primeiro turno não vieram e como o posto da PRF é distante da cidade, só vem na parte da tarde, nunca de manhã", disse.

A blitz aconteceu de 8h até cerca de 11h, pontuou Teixeira. O prefeito de Cuité, Charles Camaraense (PSB), publicou um vídeo nas redes sociais denunciando a blitz. A ele, os agentes da PRF informaram que estavam parando apenas motoqueiros sem capacete, o que não era o caso de Teixeira, que estava de carro.

Em Cuité, Lula teve 10,2 mil votos, o que correspondeu a 79,69% dos votos válidos.