Blitz interrompe festa clandestina com 1.500 pessoas em São Paulo

·1 minuto de leitura
Festa clandestina em São Paulo reunia 1.500 pessoas que, em sua maioria, não utilizava máscaras
Festa clandestina em São Paulo reunia 1.500 pessoas que, em sua maioria, não utilizava máscaras
  • Uma festa clandestina foi interrompida na madrugada deste domingo (18) na zona sul de São Paulo

  • O evento, realizado em uma fábrica desativada, tinha 1.500 pessoas aglomeradas

  • Parte dos frequentadores não utilizava máscaras de proteção, descumprindo medidas contra a propagação do coronavírus

Uma blitz interrompeu uma festa clandestina em uma fábrica desativada na região de Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, na madrugada deste domingo (18).

Na festa, segundo reportagem do portal G1, estavam cerca de 1.500 pessoas aglomeradas. Destas, 500 não utilizavam máscara de proteção contra o coronavírus, descumprindo protocolos de segurança para impedir a propagação do vírus causador da Covid-19.

Leia também:

A Força-Tarefa do governo de São Paulo faz fiscalizações para combater festas ilegais durante a pandemia de coronavírus.

Decreto estadual em vigor desde o início da pandemia, em março de 2020, proíbe a realização de eventos deste porte em São Paulo.

Além do evento em Santo Amaro, outra festa foi interditada durante a madrugada na Vila Olímpia, na zona oeste da capital paulista. Uma casa noturna recebeu mais de 350 pessoas descumprindo os protocolos de segurança da pandemia.

De acordo com o portal UOL, 24 estabelecimentos foram inspecionados pela Vigilância Sanitária entre o sábado e a madrugada de domingo, e nove locais foram autuados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos