Blitze fecha duas festas clandestinas na capital paulista

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Duas festas clandestinas foram encerradas na madrugada deste domingo (27) na cidade de São Paulo pelo Comitê de Blitze do Governo do Estado e da Prefeitura de São Paulo. A Vigilância Sanitária Estadual também inspecionou 30 estabelecimentos na noite deste sábado (26) e sete deles foram autuados por descumprimento de horário de funcionamento e por permitir pessoas sem máscaras e aglomeração.

As ações aconteceram na Água Branca e Vila Madalena, na zona oeste, e Vila Prudente, Mooca, Artur Alvim e Cangaíba, na zona leste.

No Bom Retiro, na região central, o evento clandestino, que contava com 130 pessoas aglomeradas, desrespeitando as medidas sanitárias foi encerrado pela polícia. Trinta pessoas também não usavam máscara de proteção facial. O estabelecimento foi autuado.

Já em um bar e tabacaria no bairro da Mooca, zona leste, onde acontecia uma outra festa clandestina, também foi autuado e interditado pela equipe da Vigilância Sanitária. No local, estavam 106 pessoas aglomeradas.

Integram o Comitê agentes da Guarda Civil Metropolitana e da Covisa (Coordenadoria da Vigilância Sanitária) pela Prefeitura de São Paulo. Pelo Governo do Estado, atuam profissionais da Vigilância Sanitária, Procon e das Polícias Civil e Militar.

Qualquer pessoa pode denunciar festas clandestinas e funcionamento irregular de serviços não essenciais pelo telefone 0800-771-3541 e também no site www.procon.sp.gov.br ou pelo e-mail secretarias@cvs.saude.sp.gov.br, do Centro de Vigilância Sanitária.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos