Bloco da terceira via investe em retórica de mudança, com desgaste para Bolsonaro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em busca da exposição oferecida pelo debate, os candidatos que buscam um espaço entre Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL) investiram numa retórica de mudança -o que pode representar um foco de desgaste para o presidente.

Uma das declarações mais diretas nessa direção foi feita por Simone Tebet (MDB), logo no primeiro terço do debate. "Precisamos trocar o presidente da República", disse a senadora, atribuindo a Bolsonaro ameaças à democracia e à independência do Supremo Tribunal Federal. Logo depois, ela também criticou o presidente pela gestão do país na pandemia.

Esse tipo de discurso dificulta os esforços de Bolsonaro para criar, ao longo da campanha, um sentimento de bem-estar entre os eleitores e convencê-los a votar por sua reeleição.

Também se ouviu o mesmo de Ciro Gomes (PDT), que lembrou as declarações do presidente sobre a inexistência de "fome pra valer". Soraya Thronicke (União Brasil) seguiu uma linha parecida ao falar de saúde: "é uma catástrofe o que o Brasil vive".