Blocos de carnaval não oficiais serão multados pela Prefeitura do Rio

Carolina Moura
Marcelo Alves, Marcelo Crivella e Felipe Michel em coletiva sobre carnaval

Blocos de carnaval não oficiais serão multados pela Prefeitura do Rio. A informação foi confirmada nesta quarta-feira em coletiva de imprensa concedida pelo prefeito do Rio, Marcelo Crivella, pelo presidente da Riotur, Marcelo Alves, e pelo secretário de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos do Rio, Felipe Michel. Pelo menos quatro blocos foram multados. Segundo Felipe Michel, blocos não autorizados querem "baderna".

— Trabalhamos para planejar um carnaval seguro e autorizado. Bloco não autorizado não é bom. O bloco não autorizado não quer ordem, não quer segurança, quer baderna. E por isso, ele será punido, nada além. Vai ter que pagar uma multa — afirmou o secretário. O bloco não autorizado não quer ordem, não quer segurança, quer baderna.

Michel aproveitou para apelar aos foliões que não prestigiem os blocos não oficiais, que, segundo ele, comprometem a segurança na cidade.

— A gente pede para a sociedade não exaltar os blocos não oficiais, porque nós da prefeitura fizemos todo um planejamento para organizar o carnaval na cidade. Queremos que a sociedade se divirta com segurança e esses blocos irregulares, além de sujar as ruas do Rio, deixam os locais inseguros — diz o secretário.

A punição será proporcional à quantidade de lixo produzida no desfile. A prefeitura, porém, informou que a Polícia Militar não vai reprimir foliões e organizadores durante o carnaval.

— Quero deixar claro que os responsáveis pelos blocos não oficiais serão punidos posteriomente. Mas é bom lembrar que eles vão ser os responsáveis por tudo que vai acontecer. A gente quer um carnaval de paz esse ano — explicou o secretário.

As multas aplicadas aos blocos variam de acordo com a quantidade de lixo recolhido pela Comlurb, que faz a medição por metros cúbicos. Os valores começam em R$ 1,3 mil, podendo chegar a R$ 10 mil.

Os blocos Põe na Quentinha, de Copacabana, e Chepa, de Santa Teresa, já foram multados, além do Planta na Mente, da Lapa, e o Nada Demais, da Glória. O valor das multas aplicadas não foi revelado.

Segundo a secretaria, os organizadores dos blocos serão localizados durante os desfiles por funcionários da pasta, e, por meio do CPF, multados através de um processo semelhante ao Lixo Zero, que prevê multa de até R$ 3 mil para quem descartar lixo irregularmente nas áreas públicas da cidade.

Em 2020, 543 blocos foram liberados pela prefeitura para desfilar pelas ruas do Rio de Janeiro. Desse total, 441 foram confirmados.