Os videoclipes de Amy Winehouse

fabibp
Alto e bom Som

Por Guilherme Bryan

Todo mundo já sabe que a cantora britânica Amy Winehouse, que revolucionou o rhythm'n'blues, com pitadas de jazz e soul, e uma voz com potência capaz de arrepiar qualquer mortal, foi encontrada morta no sábado, 23 de julho, no apartamento onde vivia em Londres. Porém, com apenas dois álbuns lançados, um terceiro parecia estar a caminho, a artista protagonizou também vários videoclipes. Curioso é observar como o tema do alcoolismo e o ambiente dos bares e das bebidas em hotéis estavam quase sempre presentes.

1 — In My Bed (2003) — Direção: Paul Gore

Amy Winehouse chega a um hotel, acompanhada por um garoto, até que resolve caminhar sozinha, cantando, pelos diferentes ambientes do local, e chegar a um restaurante ainda fechado e subir ao palco para interpretar o restante da música, na companhia de sua banda. O que vale aqui é a suavidade dos constantes movimentos de câmera e os vários cortes.

2 — Stronger Than Me (2003) — Direção: Enrico Zanetti
Com roupa marrom, Amy Winehouse canta num bar, passando por entre mesas de sinuca, onde rapazes jogam, e sendo assediada por um rapaz negro, que tenta conquistá-la. Ela também dá suas tacadas. O ponto alto dessa produção é o contraste de tons fortes de cores transformando os ambientes e a visão duplicada do rapaz completamente bêbado, que tenta agarrá-la no bar e em uma limusine.

3 — Take The Box (2003) — Direção: Kyle Eaton
Um dos videoclipes mais doces estrelados por Amy Winehouse, a mostra como uma espécie de dona de casa dos anos 50, que vê o marido sair para o trabalho e sonha em se tornar cantora. Para o sonho, a artista aparece de vestido vermelho, tocando guitarra, diante de globos prateados. Mais uma vez as bebidas fazem parte do cenário.

4 — Fuck Me Pumps (2004) — Direção: Marlene Rhein
Uma ideia simples resultou num videoclipe bastante interessante e copiado mundo a fora. Amy Winehouse caminha com seus "pumps" (gíria para sapato de salto alto) pelas ruas da cidade, com o microfone na mão, enquanto o fio do mesmo vai sendo desenrolado. Ela também aparece cantando dentro de um carro e na frente de um bar.

5 — Tears Dry On Their Own (2007) — Direção: David LaChapelle
Fotografia deslumbrante mostra os constrastes entre a cena em que Amy Winehouse aparece cantando no quarto, no qual incide a luz amarelada do sol e cujo ângulo encontra copos e garrafa de uísque; e a em que ela caminha pelas ruas, por entre anônimos (vários tipos bem estranhos), em locais bem coloridos e movimentados do Echo Park, em Los Angeles, nos Estados Unidos, durante o dia e a noite. O hotel é o Grand Hotel, localizado no La Cienega Boulevard.

6 — You Know I'm No Good (2007) — Direção: Phil Griffin
Valendo-se de imagens em ambientes escuros e das sombras, o videoclipe mostra a cantora se desentendendo com um possível namorado e se vendo pela televisão deitada com ele na cama de um quarto; e, através das imagens de um projetor de cinema, deitada numa banheira. Realizado em novembro de 2006, ele estreou na VH1 em 3 de março de 2007, e apenas dois dias foram suficientes para que entrasse na parada dos 10 mais pedidos da MTV.

7 — Rehab (2007) — Direção: Phil Griffin
Esse é o videoclipe mais famoso de Amy Winehouse, justamente para a canção dela que fez mais sucesso. Mostra a artista interpretando a música nos diferentes cômodos de um apartamento, acompanhada pelos músicos. Os movimentos de câmera e os ângulos inusitados fornecem a riqueza dessa produção que foi indicada ao VMA de melhor videoclipe do ano.

8 — Back To Black (2007) — Direção: Phil Griffin
Graças às imagens em preto e branco e à suavidade dos movimentos, essa parece uma produção cinematográfica dos anos 50, com certo ar de filme noir. O enredo gira em torno de um cortejo fúnebre e do sofrimento da cantora com a perda de seu amor. Foi filmado no Abney Park Cemetery, no Gibson Gardens e na Chesholm Road, no bairro londrino Chesholm Road.

9 — Valerie (feat Mark Ronson) (2007) — Direção: Robert Hales
Realizado pelo designer gráfico e director Robert Hales, o videoclipe começa com Mark Ronson e uma banda de jazz tocando numa casa noturna, e convidando uma garota da plateia para cantar, depois de anunciar que Amy Winehouse não pode estar presente. A tal anônima nitidamente dubla a voz da cantora britânica. O tipo de lente utilizada e os movimentos de câmera dão um aspecto cinematográfico a essa produção.

10 — Love Is A Losing Game (2007). Diretor não identificado
Linda montagem de fotografias e imagens em movimento de diferentes momentos da carreira de Amy Winehouse justapostos ou interligados ao ritmo da doce canção. Aqui há imagens de diferentes granulações e cores. Funciona agora, após sua morte, quase como um álbum de memórias.

Link Love Is A Losing Game — http://www.youtube.com./watch?v=GfC6CCtZjxk

11 — Just Friends (2008) — Direção: Anthony Mathile e Robert Semmer
Lindo videoclipe em preto e branco que registra o dia a dia da cantora, incluindo as apresentações no Japão, as risadas divertidas, as bebidas, os lanches rápidos, etc. As imagens "flow", que aparecem como manchas na tela dão um tom especial à produção. Talvez seja o melhor registro da intimidade de Amy Winehouse e é, por isso, indispensável.