Fã, essa coisa louca

Dafne Sampaio
Ultrapop

Desde que o mundo é mundo o fã é uma das espécies mais resistentes a chuvas e trovoadas. É gente que enfrenta qualquer parada. Sabe aquele grande cometa desgovernado que matou todos os dinossauros? Então, ele não conseguiria arranhar um grupelho de admiradores da Claudia Leitte ou do Luan Santana. É a força das paixões, apontam os estudos.

Ontem e anteontem, a MTV exibiu o Tributo à Legião Urbana, no qual Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá se encontraram com o ator Wagner Moura para tocar, "talvez pela última vez", o repertório de uma das bandas mais importantes da história recente da música brasileira. No decorrer das transmissões, fãs da Legião, de Renato Russo, de Moura e até os não-fãs se bateram e insultaram nas redes virtuais para provar que seu ponto de vista era o mais certo de todo o universo.

Grande parte das tijoladas mirou o ator e sua voz desafinada (bem, por isso ele é ator e não cantor), mas também choveram acusações ao oportunismo da empreitada. Como todo tributo é oportunista em seu DNA vou aqui me deter apenas em Wagner Moura. Nas chamadas do show ele se declarou muito fã da Legião Urbana ("uma banda que marcou minha geração") e não coincidentemente cantou duas músicas de Russo & Cia. em filmes recentes que protagonizou ("Será" em VIPs e "Tempo perdido" em O Homem do Futuro).

Aí fiquei pensando... quem não gostaria de ter a oportunidade de cantar músicas que ama, com gente que admira (além de Bonfá e Villa-Lobos estiveram presentes Fernando Catatau e Andy Gill do Gang of Four), para uma plateia gigante e animada, e com transmissão ao vivo pela TV? Ainda mais quando não se é cantor e sim fã?

O tributo foi um grande e emocionante karaokê para Moura e a plateia ali presente não pareceu se importar com o ator desafinado. Cantaram junto, cantaram alto, eram tão fãs quanto ele. E fã é sem noção mesmo, não tem vergonha de pagar mico. Não estou falando aqui de coragem (bravura) e sim de um tipo de desprendimento que só um fã de carteirinha pode ter. Coisa de maluco mesmo. Desafinar é bobagem, afinal em karaokê ganha quem grita mais.

De resto, e essa vai para os indignados do momento, esse Tributo à Legião Urbana é só mais um show. Não é o fim do mundo. Relaxem. Amanhã tem mais.