Delegados negociam com Dilma (desde as eleições) silêncio sobre a Lava Jato: em troca de superpoderes

Você já leu por aí que por detrás da briga entre procuradores e delegados da PF, no caso da Operação Lava Jato, está a PEC da Autonomia. Tal projeto propõe dar autonomia administrativa, funcional e orçamentária à Polícia Federal.

 

“Nem o FBI e Scotland Yard possuem um poder desse. Nenhuma democracia pode ter um órgão policial armado com um poder desse. As Forças Armadas não possuem um poder desse”, relata a este blog uma autoridade federal.

Veja nesses links como os procuradores alertaram a esse perigo da PF se tornar uma polícia de estado como nunca houve nem no nazismo, nem nos países da cortina de ferro:

http://migre.me/pxBHt


 

http://www.fenapef.org.br/files/NT%207%20CCR%20no%204%20de%2014%20de%20abril%20de%202015.pdf

Coisas que você já leu: no mesmo dia em que Teori Zavascki atendeu a pedido de Rodrigo Janot para suspender os depoimentos da Lava-Jato, o presidente da Associação dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), Marcos Leôncio, esteve reunido com  Humberto Costa para defender a PEC.  Leôncio também esteve com Eduardo Cunha, na mesma ladainha, e com Arthur Lira, presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Os três parlamentares são investigados até o osso na Lava-Jato.

 

Tudo isso você já leu.

Agora o que você não sabe: os delegados federais da Lava Jato queriam ouvir o Humberto Costa ( que tem um delegado como chefe de gabinete) com perguntas entregues antecipadamente e sem a presença dos procuradores… esta é uma das razões da guerra entre delegados e procuradores.

 

Outra coisa que se sabe dentro da PF é que os delegados seguraram ( com anuência de alguns membros do MPF, pasme) as informações da Lava Jato sobre Vaccari e outros políticos do PT, já conhecidas antes das eleições. Essas notícias poderiam ter mudar o resultado de uma eleição roça: a diferença entre a petista Dilma Rousseff, reeleita, e o tucano Aécio Neves foi de apenas 3,26 pontos percentuais, o resultado mais apertado já visto na disputa pela Presidência do Brasil.  Dilma obteve 51,64% dos votos e Aécio, 48,36%: diferença de votos  de 3,4 milhões. 

 Imagine Vaccari preso ( o que iria acontecer em outubro) nesse estado de coisas?

Lembre-se: o Senador Humberto Costa foi o relator da MP que deu aos delegados o poder exclusivo em ser nomeados para Delegado Geral da PF e igualdade com as carreiras jurídicas. Nas eleições os delegados mandaram recado para a Dilma: se ela não assinasse a MP( assinou no meio da campanha) o Vaccari seria preso.

Os delegados negociaram o silêncio sobre Vaccari, nas eleições, para agora lograrem seus superpoderes.

Veja que em 13 de outubro do ano passado este blog já alertou que Dilma negociava o silêncio dos delegados, na Lava Jato, em troca de uma medida provisória:

https://br.noticias.yahoo.com/blogs/claudio-tognolli/exclusivo-leia-a-medida-provisoria-pela-qual-dilma-023400431.html

 

Conclusão: delegados da PF negociam o silêncio, com Dilma, em troca de se tornarem os homens mais poderosos do mundo.

Dilma é vítima de uma política que o próprio PT inventou: a negociação de absolutamente TUDO, para a manutenção do status quo.

O PT encara agora suas próprias práticas usadas contra o próprio partido (e aprendidas também  do partido) por autoridades que agora…investigam o partido!

Fazer escola pode ser uma péssimo legado, não???


Dilma vai criar a Gestapo brazuca: ou se preferirem, a  Geheime Brasilianische StaatsPolizei, a Gebraspo!!!