Exclusivo: Ministro de Maduro, que invadiu o Brasil armado, importa menores brasileiros, desde 2011, para lhes dar aula de "revolução". Itamaraty vai apurar

Claudio Tognolli
Elías Jaua em foto de arquivo da Reuters

Este blog há uma semana noticiou com exclusividade que Elías Jaua,  vice-presidente setorial do Desenvolvimento do Socialismo Territorial da Venezuela e titular do Ministério das Comunas, esteve aqui para treinar os militantes do MST.

Trouxemos também a carta que ele foi obrigado a escrever, pedindo desculpas por ter plantado seu revólover em sua babá, para poder invadir o Brasil armado, e assim, quem sabe, dar aulas de tiro aso alvo para o MST:

https://br.noticias.yahoo.com/blogs/claudio-tognolli/exclusivo-maduro-obriga-seu-ministro-das-comunas-a-160754321.html

 

A mídia verbera nosso furo, uma semana depois, informando hoje que o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, chamou na quarta-feira o encarregado de negócios da Venezuela, Reinaldo Segóvia, para manifestar a insatisfação do governo brasileiro com as atividades do vice-presidente e ministro para o Poder Popular das Comunas e Desenvolvimento Social, Elías Jaua, no Brasil.

Figueiredo afirmou a Segóvia que o governo brasileiro viu com “estranheza” o fato de Jaua ter vindo ao país sem informar e ter tido uma agenda de trabalho, inclusive com assinatura de acordos, e que isso poderia significar uma “interferência nos assuntos internos do país”. Figueiredo cobrou explicações do governo venezuelano.

De acordo com o ministro, o diplomata foi informado de que o Brasil considera que “o fato não se coaduna com o excelente nível das relações entre os dois países”. A decisão de chamar o representante diplomático da Venezuela - o embaixador está viajando - foi conversada com a presidente Dilma Rousseff depois de ter virado notícia o fato de Jaua ter usado seu tempo no Brasil, em que teoricamente estaria acompanhando a mulher em um tratamento médico, para assinar um convênio com o Movimento Sem Terra (MST), além de outras ações relativas a seu cargo de ministro

 

Agora algo que a grande mídia ainda não sabe, ainda: o mesmo ministério que invadiu o Brasil armado leva, desde 2011, pré-adolescentes brasileiros para a Venezuela, para lhes ministrar aulas de como instaurar a revolução comuno-bolivarista (ditadura subtropical) no Brasil.

 

“As Brigadas Populares de Comunicação são grupos de crianças e adolescentes que estão aqui com o objetivo de transmitir, através de vários meios, as conquistas de progresso na criança e adolescente revolucionários, bem treinados como futuros jornalistas para servir o país…Com a participação de 26 crianças e adolescentes da comunidade do Brasil, no estado de Sucre, e durante uma semana, as Brigadas Populares de Comunicação, que terão entre suas funções a transmitir todos os avanços relacionados a instalar a ideia da revolução bolivariana”.

 

 

No texto original, menores de idade brasileiros são entrevistados com seus nomes completos. Ainda bem que na terra de Bolívar não há o Estatuto da Criança e Adolescente, não?

 

Confira:

http://www.mpcomunas.gob.ve/conformada-brigada-de-comunicaciann-popular/