De Olho na Copa

Governo estuda promover modalidades olímpicas entre os clubes em troca de abatimento da dívida

O governo federal mantém conversações com a CBF e representantes de clubes brasileiros para formular uma proposta sobre o abatimento da dívida deles, que não para de crescer.

A ideia original é simples: o governo abateria a dívida dessas instituições caso elas passassem a abraçar modalidades olímpicas, as quais poderiam escolher. A prática dessas modalidades deveria focar em jovens, sobretudo de regiões menos favorecidas.

A ideia do governo federal seria matar dois coelhos com a medida.

Primeiro, usar a estrutura dos clubes para fazer algo que ele próprio nunca conseguiu fazer: tornar a prática esportiva acessível a todos. O Brasil sonha em ser uma potência olímpica algum dia, e tal fato depende diretamente disso.

Segundo, formar um embrião de controle aos clubes devedores, atrelando responsabilidades para a prática dessas modalidades olímpicas. O clube que estiver no projeto certamente assumiria compromissos de meta de redução da dívida.

Este seria o grande projeto do governo desde a criação da malsucedida Timemania, que, fracasso de público, não ajudou a nenhum clube a abater sua dívida nem os pressionou a tornarem-se economicamente responsáveis.

A proposta é polêmica, mas ao menos é uma proposta. Precisaríamos conhecer as minúcias do projeto para avaliar se ele tem chances de ser bem sucedido. A princípio, não vejo porque os clubes iriam fazer parte disso. Ninguém os cobra para pagarem suas dívidas. A Uefa resolveu esse problema na Europa ameaçando de rebaixamento quem não cumprir um cronograma de abatimento delas. Esse é o fator principal.

Veja o levantamento de clubes devedores feito pela consultoria BDO, divulgada agora em maio. Perceba como a dívida dos clubes multiplicou-se assustadoramente entre 2007 e 2011 (lembrando que a lista abaixo é da dívida total das agremiações, e não somente o que devem ao governo):

CLUBE            DÍVIDA EM R$       EVOLUÇÃO DO ENDIVIDAMENTO 2007 A 2011 1º) Botafogo              563.915                                                        164%
2º) Fluminense        404.899                                                          47%
3º) Vasco                  386.894                                                         224%
4º) Atlético-MG       367.592                                                          77%
5º) Flamengo           355.452                                                           31%
6º) Palmeiras           245.298                                                         315%
7º) Santos                 207.670                                                          80%
8º) Grêmio               198.882                                                           89%
9º) Internacional     197.370                                                           63%
10º) Corinthians      178.492                                                           76%
11º) São Paulo         158.486                                                          207%
12º) Portuguesa      138.325                                                           17%
13º) Cruzeiro          120.300                                                            40%
14º) Coritiba            110.986                                                         121%
15º) Ponte Preta    105.025                                                          144%

*Bahia e Atlético-PR não haviam divulgado seus balancetes de 2011 até a divulgação do levantamento da BDO.

Carregando...

Sobre Fernando Vives

Jornalista desde 2004, atualmente é um dos editores do site da "CartaCapital". Neste blog, fala sobre o mundo extra-campo do futebol e de outros esportes, com foco na organização da Copa do Mundo de 2014.

Siga o Yahoo Notícias