O poder das manchetes

Duas manchetes foram destaques nessa semana e pautaram o noticiário brasileiro.

Primeiro vamos à manchete do jornal "O Globo" do último dia 30:

Um ministro da Suprema Corte do país apressou sua aposentadoria em virtude de ameaças que estaria sofrendo. Uma notícia grave, que merece estampar a capa dessa importante publicação. Dentro do jornal, outra manchete foi ainda mais enfática: "Chefe de gabinete diz que ameaças de morte motivaram aposentadoria de Barbosa". Mas, no decorrer da leitura da reportagem, percebemos que Joaquim nem sequer foi procurado para confirmar essa importantíssima notícia. Foi aí então que o UOL resolveu completar o trabalho e procurou o ministro para confirmar o furo do O Globo:

O relatado pela VEJA é de conhecimento público desde 2013, quando um petista o jurou de morte no Facebook e virou alvo de um inquérito policial. Barbosa, portanto, desmentiu a manchete que virou um dos principais assuntos no país. Sua saída não foi precipitada por ameaças, que, aliás, nem sequer existiram.

No último domingo, outra valorosa capa encheu de orgulho o jornalismo brasileiro. O furo do Estadão ganhou destaque no Brasil e no mundo:

---

---------

Apesar de não se considerarem um grupo, mas adeptos de uma "tática de defesa", integrantes dos black blocs foram entrevistados pelo Estadão. Um deles teria feito a afirmação que rendeu a manchete da capa:

"A gente tem certeza que o crime organizado, o PCC, vai causar o caos na Copa e a gente vai puxar para o outro lado. Não temos aliança nem somos contra o PCC. Só que eles têm poder fogo muito maior que o Movimento Passe Livre"

Foi a partir da declaração de alguém que não se identifica, e que fala em nome de uma organizaçao que não existe, que o Estadão resolveu anunciar em sua edição dominical a existência de uma ligação entre black blocs e PCC.

O anonimato e o fato de que qualquer um poder reivindicar a condição de "black bloc", nos faz desconfiar dessa informação. Pode muito bem ser uma traquinagem de um jovem rebelde querendo "trollar a imprensa fascista" ou algo parecido. Tudo é possível, basta lembrarmos da "entrevista" de Gugu Liberato com um integrante anônimo e mascarado do PCC.

A repercussão do assunto foi tão grande, que até o Ministro da Justiça apareceu pra comentar:

“É inadmissível a associação de esforços entre os black blocs e o PCC para transformar a Copa do Mundo em um caos"

Apesar do anônimo ter afirmado categoricamente "não ter aliança com o PCC", o estrago da manchete já havia sido feito. Até na Argentina a notícia dessa parceria chegou como verdade absoluta:

Romeu Tuma Jr, o Tuminha, também comentou a notícia do momento em entrevista ao Yahoo:

Vamos recapitular essa gigantesca brincadeira do telefone sem fio?

1. black bloc anônimo diz: "Não temos alianças com PCC"
2. Estadão dá a manchete: "black blocs prometem caos na Copa e contam com PCC"
3. Ministro da Justiça fala em "associação de esforços" entre os dois grupos
4. Tuminha crava: "black blocs dizem que estão em negociações com o PCC"

Aguardemos os comentários de Gugu Liberato e seu domínio do fato.