Voa, Telexfree!

Há 6 meses escrevi o post "Marketing Multinível ou Golpe Multimilionário?" sobre como a Telexfree, cujo negócio foi considerado um golpe financeiro pela Justiça, avançava sobre o país. Ali tentei mostrar a importância da aproximação com esportistas, artistas, celebridades e profissionais respeitados na sociedade para conferir credibilidade ao golpe. Celso de Freitas, por exemplo, um dos principais jornalistas da TV Record, chegou a ser o principal garoto-propaganda da Telexfree. Mas de lá pra cá, a empresa teve seus bens bloqueados pela Justiça, foi impedida de aceitar novos investidores e muita coisa mudou.

"Mas o que aconteceu? A Telexfree teve suas portas fechadas? O seu presidente foi preso?"

Não! Muito pelo contrário. Com os bens bloqueados e sem a possibilidade de incluir novas vítimas no esquema (que é o que sustenta o negócio), os representantes da empresa iniciaram uma verdadeira cruzada contra as "injustiças" que estariam sofrendo. Com a base anêmica, os faraós da pirâmide incentivaram seus divulgadores a encampar uma campanha profundamente emocional pela volta do funcionamento da empresa.

Capitaneados pelo chefão Carlos Costa, vários deles foram até Brasília reivindicar o desbloqueio dos bens da empresa golpista. Intimidados com a pressão de milhares de pessoas, muitos políticos se renderam e deram apoio à causa piramidal e, hoje, é possível visualizar uma bancada multinível no Congresso. Veja o vídeo em que a Telexfree apresenta, com tons épicos, a luta messiânica do rei do marketing multinível:

( Assista ao vídeo ===> http://www.youtube.com/watch?v=Kat2Jx_fnvs )

Reparem como o sorridente Tião Viana (PT), governador de um estado em que 10% da população caiu no golpe, oferece seu ombro amigo ao nobre empresário Carlos Costa:

“Você pode dizer: ‘olha, eu tenho o governador do Acre como testemunha a favor dessa atividade. E pode me usar em qualquer tribunal. O que eu lhe disse aqui eu digo no STJ. Eu não vi ninguém reclamar, como é que eu posso ser contra?”

E assim, conquistando legitimidade, vamos voando cada vez mais alto.

Recentemente a Telexfree anunciou com orgulho ser a nova patrocinadora do Botafogo, que exibirá o logo da empresa faraônica em sua camisa. Representantes do clube foram até Miami, onde fecharam o acordo com o comparsa sócio norte-americano de Carlos Costa, o cara que topou fingir ter um negócio milionário nos EUA pra conferir status internacional ao golpe. Além disso, Carlos Costa e sua turma também se orgulham de uma outra empreitada: o hotel "Best Western Telexfree Tijuca". Apesar da Telexfree mostrar vídeo divulgando o empreendimento em conjunto, a famosa rede de hotéis fez questão de garantir não ter nenhuma relação com a empresa, diferente do Botafogo que segue pimpão com a parceria. Os cartolas parecem não se preocupar em receber dinheiro de uma empresa considerada golpista e com dias contados para morrer.

"Não é pirâmide! Não é pirâmide! É marketing multinível, não é pirâmide! Eu juro que não é!"

Sinto-lhe informar, divulgador, mas trata-se no máximo de um golpe multinível com muito marketing por trás. Porque o que sustenta o negócio não é o resultado das vendas, mas única e exclusivamente o recrutamento de novos investidores, que fazem girar a roda e sustentam Carlos Costa - o faraó deitado em berço esplêndido no topo da pirâmide. Trata-se do lado mais perverso do esquema: vítimas passam automaticamente a serem co-autoras do golpe, já que precisam desesperadamente de novas vítimas para não quebrarem. Tudo isso é bastante simples de entender e já foi dissecado por muita gente.

Mesmo com tantas provas atestando o golpe e o crime contra a economia popular, a Telexfree continuou conquistando apoio de artistas, políticos, jornalistas, grandes empresas e até time de futebol. O jingle "Voa, Telexfree" era mesmo profético. A empresa voou tanto que alcançou alturas inimagináveis para um golpezinho tão antigo e elementar.

Mas aonde será que Carlos Costa vai parar com seu negócio milagroso? Charles Ponzi, o inventor do golpe da pirâmide, chegou a comprar um banco nos EUA antes de ser preso. E o nosso anjo Charles? Alcançará alturas semelhantes? Nessa toada, é muito provável que sim. Não se assustem se o nosso menino se eleger deputado federal e for homenageado num samba-enredo da Beija-Flor.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos