É show ou é fria? – 3ª semana de maio

É show ou é fria? – 3ª semana de maio

LOS TWANG! MARVELS
20 - SESC Consolação – São Paulo
Aqui está uma verdadeira “salada musical”. Este quarteto alemão faz um som instrumental cheio de reverbs que mistura surf music, música latina e mais um monte de outras influências. Apesar de a banda não ter lá muito carisma em cima do palco, o show vai ser bem divertido. Pode apostar.

STEVEN WILSON
20 - Teatro Bradesco – São Paulo
Líder do cultuado grupo de rock progressivo Porcupine Tree, Wilson vem ao Brasil para mostrar apenas o seu trabalho solo e divulgar seu mais recente álbum, The Raven That Refused to Sing (and Other Stories). Para quem curte sonoridade setentistas, é prato cheio.

PÉRICLES
20 - Barra Music - Rio de Janeiro
22 - Fidélis Bar - São Paulo
25 - Centro de Convenções – Recife
26 - Maikai– Maceió
Ele é um cara carismático e dono de uma bela voz. Agora, com o fim do Exaltasamba, Péricles inicia sua carreira solo e eu torço sinceramente para que ele se afaste completamente do som que fazia com seu finado grupo, voltando a fazer um samba de raiz com letras que tenham uma maior profundidade poética. A julgar pelas poucas canções que ouvi desta nova fase, infelizmente parece que isto não vai acontecer. Pena...

CAT POWER (assista ao vídeo)
21- Cine Joia – São Paulo

VINNIE MOORE
20 – Teatro do CEMJ - Florianópolis
21 – Teatro Municipal – Santos (SP)
22 – Kaza – Bebedouro (SP)
23 – Manifesto – São Paulo
Atualmente tocando com o UFO – a banda esteve fazendo shows no Brasil na semana passada -, este extraordinário guitarrista aproveita a estadia por nosso País para mostrar sua ótima carreira solo, ao lado de uma super banda formada por músicos brasileiros, com destaque para o baterista Aquiles Priester (ex-Angra, atualmente no Hangar). Para quem é guitarrista, é um dos shows do ano!

BOM GOSTO
21 – Caneco 90 – São Gonçalo (RJ)
23 – Easy – São Paulo
Quando você pensa que aquele pagode xexelento e que celebriza a dor de corno já estava extinto, sempre aparece alguém ainda insistindo em regurgitar todas aquelas letras ginasianas e aquele “balanço” que só empolga a quem tem menos de três neurônios em funcionamento. É o caso deste grupo, que teima não apenas em não trazer nada de novo, mas também procura perpetuar o que de pior o estilo propagou na cabeça vazia de adolescentes que não sabem nada a respeito de samba. Triste isto...

EMMERSON NOGUEIRA
22 – Teatro Bradesco – São Paulo
Show deste cara com orquestra de cordas? Tocando repertório de covers de barzinho? E ele ainda ameaça mostrar músicas de sua própria safra? Meu Deus do céu...

PET SHOP BOYS (assista ao vídeo)
22 - Credicard Hall – São Paulo

BRENDAN BENSON
22 - Cine Joia – São Paulo
Sócio do Jack White no Raconteurs, Benson tem uma carreira solo muito interessante, com discos bem acima da média e costuma fazer apresentações repletas de ótimas canções e energia. Eu, se fosse você, não perderia isto de forma alguma...

WANDERLÉA
22 - SESC Ipiranga – São Paulo
Comemorando 50 anos de carreira, a eterna “Ternurinha” vai dar uma repassada em sua ótima carreira, incluindo as boas canções que gravou nos anos 70, algumas músicas de seu mais recente disco - Nova Estação – e, claro, seus grandes clássicos, como “Pare o Casamento”, “Prova de Fogo” e “Se Você Pensa”. Boa pedida para saudosistas e para quem desconhece a importância da cantora.

EXPLOSIONS IN THE SKY
22 e 23 - SESC Belenzinho – São Paulo
Aqui está um show que pode ser considerado como “desconcertante”. Praticamente todo instrumental e cheio de “viagens”, o som deste quinteto texano é um caldeirão no qual cabem extensas doses de psicodelia lisérgica, rock progressivo, jazz, distorções e um sem número de outros elementos. É difícil descrever em palavras. Quem ouviu o mais recente disco dos caras, Take Care, Take Care, Take Care, sabe o que quero dizer... Tem que ir!

CESAR MENOTTI & FABIANO
22 – Parque de Exposições – Alta Floresta (MT)
24 - Parque de Exposições Dr. Pedro Ludovico – Goiânia
25 - praça pública – Sobradinho (DF)
A simpática dupla não costuma decepcionar em termos de animação em seus shows. Muito disso ocorre porque os caras são carismáticos e divertidos, que conseguem injetar doses de sinceridade naquele velho papo de corações partidos, amores não correspondidos e dor de corno, assuntos mais que manjados no universo sertanejo atual. Secundados por uma ótima banda de apoio, a dupla faz aquele tipo de apresentação que certamente vai extasiar quem gosta dessa enxurrada de romantismo aguado.

MORBID ANGEL
23 - Cine Joia – São Paulo
Esqueça o “mimimi” de ‘metaleiros’ retrógrados que acusam a banda de ter “se vendido” ao dar uma diminuída na velocidade dos andamentos e incorporados pequenos elementos eletrônicos em seus discos mais recentes. Isto é papo de cabeludo bebedor de cerveja quente. Show do Morbid Angel continua sendo algo a não se perder...

PEDRO MARIANO
23 - SESC São Caetano - São Caetano do Sul (SP)
O grande problema deste cantor é a sua total falta de carisma. È um problema tão sério que isto acaba contagiando suas canções, que acabam soando como se o Jorge Vercillo resolvesse parar de imitar o Djavan e passar a fazer uma versão mais adocicada do Maurício Manieri. Quem sabe agora, com uma banda em formato de trio – no qual o próprio Pedro é o baterista -, a coisa toda melhore um pouco, né? Sim, eu sei que sou um otimista incorrigível...

EMICIDA
23 - Opinião – Porto Alegre
Indo em uma direção oposta ao mau humor de certa corrente do rap nacional, Emicida procura usar da poesia inteligente, com uma qualidade muito acima do se ouve por aí. Para melhorar ainda mais, seu DJ manda ver em bases pesadas, bem na linha “old school”, lembrando uma época em que o hip hop ainda usava o som da caixa de bateria e não palmas para marcar o ritmo. Show recomendado para os amantes do gênero.

YES (assista ao vídeo)
21 - Teatro Guaíra - Curitiba
23 e 24 – HSBC Brasil – São Paulo
25 - Vivo Rio – Rio de Janeiro

CLAUDIA LEITTE
23 – Maria Fumaça Folia – Porto Velho
24 - estacionamento do Arena da Floresta – Rio Branco
Evidentemente, ela é uma figura carismática para os padrões da “axé music” e sua banda é bastante competente, mas isto não esconde o fato de que Claudia Leitte não é uma boa cantora, que seu repertório é muito ruim e que falta a ela uma “assessoria de bom gosto” que a impeça de colocar bailarinos patéticos com coreografias que fariam o falecido apresentador Bolinha ter outro ataque do coração, de se vestir muitas vezes como uma “Lady Gaga do Recôncavo Baiano”. É um daqueles shows só para fãs mais que baba-ovos e para quem gosta de micaretas em forma de aula de aeróbica. Credo, que porcaria!

MARIA BETHÂNIA
24 - Vivo Rio – Rio de Janeiro
Em sua nova turnê, Carta de Amor, torço para que a temperamental cantora baiana continue a ter ao seu lado uma extraordinária banda e que ela esteja cantando melhor, abandonando qualquer maneirismo histriônico do passado e imprimindo uma emoção mais genuína em suas interpretações.

CAPITAL INICIAL
24 – Recinto de Exposições – Fernandópolis (SP)
Podem acusar a banda de qualquer coisa, menos de ser incompetente em cima do palco e de fraquejar na hora de propiciar um show animado. Por ser o único grupo remanescente da cena roqueira brasileira dos anos 80 que conseguiu reciclar o seu público, o quarteto certamente vai exibir um desfile de hits para todo mundo cantar junto e se esbaldar. Isso, claro, para quem tem idade mental inferior a dezessete anos. Em contrapartida, devem tocar várias canções de seu fraco disco novo, Saturno. Portanto, você está por sua conta e risco...

EDDIE
24 - SESC Belenzinho – São Paulo
Um dos nomes pouco lembrados quando o termo “mangue beat” é citado, este grupo pernambucano vai usar esta apresentação para marcar a comemoração dos dez anos do álbum Original Olinda Style, que também será relançado em vinil, e ainda vai contar com as participações das cantoras Karina Buhr e Isaar, além de músicos da Orquestra de Frevo Henrique Dias. O som? Bom, se você resolver ir a este show vai entender porque pouca gente lembra deste grupo...

GONG
24 e 25 - SESC Belenzinho – São Paulo
Um dos maiores nomes da simbiose que a psicodelia teve com o rock progressivo, este grupo vem se mantendo ao longo de décadas praticando o mesmíssimo som ‘viajandaço’ e repleto de intrigantes harmonias, melodias e ritmos. E ainda mais com a sua nova formação, que inclui o guitarrista brasileiro Fabio Golfetti, do Violeta de Outono, é daqueles shows a não se perder...

ROBERTA CAMPOS
24 e 25 - SESC Santo André - Santo André (SP)
Ela já deixou de ser uma menina, mas ainda está a caminho de se tornar uma grande artista. Suas canções passam longe da babaquice adolescente – vide seu mais recente disco, Diário de um Dia -, ela nitidamente sabe o que fazer com seu violão e tem certa doçura em cima do palco. Roberta precisa apenas tomar cuidado com extinguir completamente as desafinações que sempre marcaram seus shows. Quem sabe esta apresentação já mostre que tal defeito não existe mais...

SÓ PRA CONTRARIAR (veja minha opinião aqui)
24 – Parque de Exposições – Itajubá (MG)
25 – Texas – Varginha (MG)

FÁBIO JR.
24 – Festa Nacional do Pinhão – Lages (SC)
Da mesma forma como acontece com Roberto Carlos, Fábio Jr. também vem há muito tempo apresentando um show bastante burocrático. Mas ao contrário do "Rei", o pai do tal de Fiuk é um roqueiro enrustido e sacana, que sabe que um pouco de espontaneidade é caminho certo para cativar ainda mais as suas fãs, que nunca cessam de gritar em suas apresentações. De uma coisa você pode ter certeza: a banda de apoio do cantor é sempre um time de primeira grandeza em termos instrumentais. Já as músicas...

DJAVAN
24 – Spazio – Campina Grande (PB)
25 – Palladium – Caruaru (PE)
Sempre muito rigoroso com relação aos seus shows, Djavan certamente vai apresentar um espetáculo de alto nível, com músicos de apoio ultracompetentes, cenografia e iluminações caprichadas e com som de qualidade. O problema pode ser o repertório, que sempre traz excelentes canções ao lado de outras de nível muito inferior. Neste sentido, o show é uma loteria. A não ser que você seja pouco exigente e trate apenas de saborear o que o artista lhe apresentar. Neste caso, boa sorte!

O RAPPA (veja minha opinião aqui)
25 – Facita – Taguatinga

DR.SIN
25 - Manifesto Bar – São Paulo
Um dos mais subestimados grupos da cena metal brasileira, o trio vai apresentar um show em que seus integrantes vão demonstrar suas velhas e conhecidas exuberâncias técnicas e um som extremamente pesado. Se deixarem de lado as baladas e temas mais lentos para se concentrarem nas canções mais pesadas, vai ser uma apresentação de cair o queixo para a molecada que estuda Música.

TEATRO MÁGICO (assista ao vídeo)
25 - Chevrolet Hall – Belo Horizonte

PAULINHO MOSKA
25 - SESC Belenzinho – São Paulo
Lançando seu segundo DVD ao vivo, Muito Pouco Para Todos, ele só reforça a tese de que é um cara talentoso, mas que sempre apresenta um repertório bastante irregular. A falta de uma constante safra de boas canções é justamente o que atrapalha a sua carreira. Quem sabe agora a coisa melhora daqui em diante, né?

MALLU MAGALHÃES
25 - SESC Santo Amaro – São Paulo
Ainda não assisti ao novo show de Mallu Magalhães, mas a julgar por aquilo que ouvi em seu mais recente disco, Pitanga, pouca coisa mudou no som e na voz desta ex-menina que se transformou em uma bela mulher. Pena...

CARLOS CAREQA
25 - SESC Ipiranga – São Paulo
Um dos mais talentosos e subestimados talentos da música brasileira, ele vai mostrar neste show temas de seu mais novo álbum, Made in China, ao lado de uma banda de apoio de primeira categoria, com destaque para o multiinstrumentista Mario Manga e o baterista Claudio Tchernev. Isto já é o suficiente para que eu recomende esta apresentação...

MARIA RITA
25 e 26 - Citibank Hall – Rio de Janeiro
Demorou um pouco para que grande parte do público levasse a filha de Elis Regina a sério como cantora. E não há nada de errado com o mundo quando se percebe que ela melhorou muito como cantora e, principalmente, na escolha do repertório de seus shows. Há uma dose maior de espontaneidade em suas apresentações e sua banda de apoio é eficientíssima. Para quem nunca a viu em cima do palco, vale a pena dar uma arriscada...

TONINHO FERRAGUTTI
25 e 26 - SESC Santana – São Paulo
Um dos melhores acordeonistas da música brasileira, ele será acompanhado de uma mini orquestra para mostrar as boas composições de seu novo disco, O Sorriso da Manu, que reúne composições feitas para o espetáculo Grupo Luceros dança Toninho Ferragutti, dirigido pela maravilhosa Clarisse Abujamra. Será um show bastante “classudo”!

SHADOWSIDE
26 – Via Marquês – São Paulo
É inegável que esta banda brasileira é uma daquelas que mais fazem shows no exterior atualmente. Tal postura acabou dando um upgrade no som da turma, que vai ficando mais pesado e interessante com o passar do tempo. Só que é um tipo de “heavy metal com vocal feminino” que não é capaz de me tirar de casa para assisti-los – ao contrário do Arch Enemy, por exemplo -, mas eles estão melhorando... Quem sabe um dia, não?

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos